31 de julho de 2017

Resenha: A Fera por Alex Flinn

Há alguns anos conheci o filme "A Fera", protagonizado por Vanessa Hudgens e Alex Pettyfer, a produção conquistou meu coração de imediato. Em uma busca para saber sobre a origem daquela releitura, fiquei sabendo que o longa-metragem era uma adaptação da obra escrita por Alex Flinn. Lembro que li avidamente e consegui me apaixonar ainda mais pelo meu conto de fadas favoritos. Mas isso aconteceu quando eu tinha 18 anos recém completados... O que eu senti lendo essa história 6 anos depois? Bem, isso vocês descobrirão nas próximas linhas.

Título: A Fera
Série: Crônicas de Kendra #1
Autora: Alex Flinn
Editora: Galera Record
Ano: 2011
Páginas: 320
Onde comprar: Saraiva
Eu sou uma fera. Uma fera. Não exatamente um lobo, ou um urso, um gorila ou um cão, mas uma terrível criatura que anda em duas patas uma criatura com dentes e garras e pelos surgindo de cada poro de minha pele. Sou um monstro. Você acha que estou falando de contos de fada? De jeito nenhum. O lugar é Nova York. O momento é agora. Não sofro de uma deformidade ou uma doença. E vou ficar dessa forma para sempre destruído , a não ser que possa quebrar o feitiço. Sim, o feitiço, aquele que a bruxa da minha aula de inglês lançou sobre mim. Por que ela me transformou em uma besta que se esconde durante o dia e rasteja à noite? Vou lhe contar. Vou lhe contar como eu costumava ser Kyle Kingsbury, o cara que você gostaria de ser, com dinheiro, beleza e uma vida perfeita. E aí vou contar como me tornei... a fera.

Kyle é o típico garoto rico que conquista tudo o que quer através da sua beleza e do poder de seu pai. Cobiçado pelas meninas e invejado pelos garotas da escola, ele está acostumado a não ter que enfrentar as consequências de seus atos e por isso faz o que quer sem respeitar qualquer limite. Indicado para ser coroado como rei do baile do colégio, ele tinha a certeza da vitória, afinal, quem mais poderia ser escolhido se não ele? Mas nem todo mundo parecia contente com aquela indicação, pois uma garota de péssima aparência e cheia de atitude passa a questionar o porquê das pessoas quererem colocar no pedestal alguém como ele. Para dar uma lição na garota, ele a convida para ir ao baile. Apesar de desconfiada, Kendra aceita o seu convite mesmo que imaginasse o que estava por vir.

E quando o grande dia chega, Kyle age da pior maneira possível e a humilha na frente de todos. Mas o momento que para ele foi divertido passa e ele começa a se sentir mal. Ao voltar para casa, depara-se com uma cena que mudaria toda a sua vida: Kendra estava no seu quarto. Sem entender o que estava acontecendo, ele percebe pouco a pouco que o corpo de garota escondia uma alma antiga e que na verdade ela não era uma colega da escola, mas sim uma bruxa. Temeroso com o que ela podia lhe fazer, tenta de todas as maneiras convencê-la de que tudo o que fez não passava de uma brincadeira, porém, nada a convenceu e ela lhe sentenciou a viver como uma fera. Sua única saída era encontrar o amor verdadeiro em dois anos, mas como alguém poderia amar alguém que não só era feio por dentro como também por fora?

Alex Flinn é o tipo de escritora que tem o poder de fazer você se envolver com a sua história. Em "A Fera" vemos um cara bonito e babaca transformar-se em alguém cuja beleza não é um fator preponderante aqueles que o conhecem em virtude da sua evolução enquanto ser. Narrado em primeira pessoa, a mudança de Kyle é gradual pois vemos o desenvolvimento de um personagem que a princípio não tem nada a oferecer e que se mostra alguém que pode aprender com os seus erros. A inspiração no conto em "A Bela e a Fera" é evidente, já que temos a figura não só de um cara bonito e sem escrúpulos, como também, a de uma mulher bonita e singela que vem para acabar com a maldição colocada por uma bruxa - ainda que desconheça a verdade do que está acontecendo.

Por ser um livro juvenil, a leitura é rápida e fluída. E mesmo que o seu desenrolar seja previsível, a essência da obra traz algo mais para o leitor que se perpetua mesmo após o encerramento da história. Confesso que a primeira vez que li "A Fera" gostei mais do que na minha releitura, porém, atribuo isso ao meu estado espiritual de quem não se identifica com a maior parte dos dramas colocados à discussão. No entanto, recentemente vi a adaptação para os cinemas da história e me senti da mesma forma com relação ao roteiro, ou seja, continuei apaixonada! Sei que há muitas controvérsias com relação ao papel de Kendra e até mesmo a maneira como a fera foi levada para as telas. Todavia, ainda considero os elementos da adaptação suficientes para fazer jus a um livro que apesar de despretensioso, traz consigo algo mágico que permanece por muito tempo com o leitor. 

[...] Quem não consegue ver o que é precioso na vida nunca será feliz. Pág. 37


--- Isabelle Vitorino ---

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela visita, dê sua opinião, participe e volte sempre.

- Caso tenha uma pergunta deixe seu e-mail abaixo que respondo assim que o comentário for lido.

- Caso sua mensagem não tenha relação com o post, envie para o e-mail.



ATUALIZAÇÕES DO INSTAGRAM