Resenha: A Justiça Chama por Annie Bellet

Um dos meus genêros literários favoritos é a fantasia, se ela for urban fantasy, melhor ainda. E em "A Justiça Chama" encontrei justamente um cenário fantástico, com muitas referências e uma narrativa bem rápida.

Título:
A Justiça Chama
Série: Magia em Jogo #1
Autora: Annie Bellet
Editora: AVEC
Ano: 2019
Páginas: 120
Onde comprar: Amazon | Livraria Cultura | Submarino
Sinopse: "Gamer. Nerd. Feiticeira. Jade Crow vive uma vida tranquila em sua loja de quadrinhos e jogos em Wylde, Idaho. Depois de vinte e cinco anos fugindo de um feiticeiro poderoso que quer comer seu coração e tomar seus poderes. Cercada por amigos ainda menos humanos do que ela, Jade acredita que está finalmente segura. Contanto que ela não use sua magia! Quando os poderes escuros ameaçam a vida de seus amigos, aparece um executor transmorfo sexy. Ele é o juiz, o júri e o carrasco de um mundo pouco mundano e acha que Jade é o culpada. Para limpar seu nome, salvar seus amigos, e parar o vilão, ela terá que usar seu juízo ... e seus poderes de feiticeira."

Resenha Especial: Úrsula por Maria Firmina dos Reis

O ano passado, mais precisamente no mês de novembro, li "Úrsula". Era uma obra que eu ansiava conhecer por todo o contexto histórico de sua escrita, porém, algumas questões da narrativa me deixaram em dúvida com relação ao que senti. Assim, passei um tempo refletindo e hoje estou aqui para conversar com vocês sobre esse livro e tudo o que eu encontrei.

Título:
Úrsula
Autora: Maria Firmina dos Reis
Editora: Edições Câmara
Ano: 2018
Páginas: 289
Onde comprar: Amazon (e-book gratuito) | Livraria Cultura | Submarino
Sinopse: "A Edições Câmara traz mais um volume da série Prazer de Ler, a coletânea com as obras de Maria Firmina dos Reis, primeira escritora negra de que se tem notícia em nossa literatura e pioneira na denúncia da opressão a negros e mulheres no Brasil do século XIX. A coletânea inclui o romance Úrsula, seu texto mais publicado, o conto abolicionista A escrava, o indianista Gupeva e a antologia de poesias Cantos à beira-mar, reunidos pela sua inequívoca qualidade literária. Com o lançamento deste livro, a Edições Câmara busca reafirmar a importância da obra de Firmina, mulher, negra, educada, maranhense e uma voz da resistência feminina. A força de sua literatura é um convite à reflexão sobre temas como a escravidão, o sexismo e o lugar da mulher na sociedade paternalista e escravocrata da qual foi contemporânea".

Resenha Especial: O Velho e o Mar por Ernest Hemingway

E hoje vamos falar sobre a obra-prima de Ernest Hemingway.

Título:
O Velho e o Mar
Autor: Ernest Hemingway
Editora: Bertrand Brasil
Ano: 2013
Páginas: 126
Sinopse: "Depois de anos na profissão, havia 84 dias que o velho pescador Santiago não apanhava um único peixe. Por isso já diziam se tratar de um salão, ou seja, um azarento da pior espécie. Mas ele possui coragem, acredita em si mesmo, e parte sozinho para alto-mar, munido da certeza de que, desta vez, será bem-sucedido no seu trabalho. Esta é a história de um homem que convive com a solidão, com seus sonhos e pensamentos, sua luta pela sobrevivência e a inabalável confiança na vida. Com um enredo tenso que prende o leitor na ponta da linha, Hemingway escreveu uma das mais belas obras da literatura contemporânea. Uma história dotada de profunda mensagem de fé no homem e em sua capacidade de superar as limitações a que a vida o submete.

Resenha Especial: O Apanhador no Campo de Centeio por J. D. Salinger

Se você é um leitor contumaz, provavelmente já deve ter sido deparado com algum texto sobre "O Apanhador no Campo de Centeio", e se você também é um curioso de assuntos criminais, em algum momento encontrou alguma menção à essa obra. Diante dessa complexidade, é com muita cautela que eu abraço a missão de falar sobre a obra de Salinger.

Título:
O Apanhador no Campo de Centeio
Autor: J. D. Salinger
Editora: Todavia
Ano: 2019
Páginas: 256
Sinopse: "É Natal, e Holden Caulfield conseguiu ser expulso de mais uma escola. Com uns trocados da venda de uma máquina de escrever e portando seu indefectível boné vermelho de caçador, o jovem traça um plano incerto: tomar um trem para Nova York e vagar por três dias pela grande cidade, adiando a volta à casa dos pais até que eles recebam a notícia da expulsão por alguém da escola. Seus dias e noites serão marcados por encontros confusos, e ocasionalmente comoventes, com estranhos, brigas com os tipos mais desprezíveis, encontros com ex-namoradas, visitas à sua irmã Phoebe -- a única criatura neste mundo que parece entendê-lo -- e por dúvidas que irão consumi-lo durante sua estadia, entre elas uma questão recorrente: afinal, para onde vão os patos do Central Park no inverno? Acima de todos esses fatos, preocupações e pensamentos, paira a inimitável voz de Holden, o adolescente raivoso e idealista que quer desbancar o mundo dos "fajutos", num turbilhão quase sem fim de ressentimento, humor, frases lapidares, insegurança, bravatas e rebelião juvenil."

Resenha: O Caderninho de Desafios de Dash e Lily por David Levithan e Rachel Cohn

O Natal sempre foi uma das minhas épocas favoritas do ano e por isso sempre tentei deixar as minhas leituras com um clima leve, fofo e acolhedor. É certo que esse ano eu mudei um pouco e li algumas obras bem densas, mas, como contraponto, conheci esse livro que além de dar um baita quentinho no coração, foi adaptado pela Netflix.

Título: 
O Caderninho de Desafios de Dash e Lily
Autores: David Levithan e Rachel Cohn
Editora: Galera Record
Ano: 2016
Páginas: 256
Sinopse: "O mais novo livro de David Levithan, autor de Will & Will e Todo dia Lily sente que chegou a hora de se apaixonar. Para achar sua cara-metade, ela vai contar com a ajuda do irmão, que ajuda a garota a criar uma série de tarefas num caderno vermelho. Quem o encontrar, em meio às prateleiras da mais caótica livraria de Manhattan, deve aceitar ou não seu desafio. Dash, um lobo solitário, encontra o moleskine em sua livraria predileta, e os dois ousam trocar sonhos, desafios e desejos nas páginas do caderninho que será achado e perdido sucessivamente nos mais diferentes locais da cidade."