15 de agosto de 2014

TAG: Livros + Emoções


Que faz tempo que eu não respondo uma tag, vocês já sabem. Mas quando o Marcel do blog Fan Boy me indicou para essa, não tive dúvidas de que iria respondê-la. Criada pelo canal Padfoot and Prongs 07 e traduzida pela Tatiana Feltrin do blog Tiny Little Things, ela consiste basicamente em apresentar para vocês os livros que me despertaram as mais variadas emoções. E como a leitora emocional que eu sou, livros e gifs são o que não faltam para mostrar hoje! Vamos lá?

1. Feliz?

Sabe aqueles livros que você começa a ler sem muitas expectativas, mas que no final você já está implorando por mais? Pois bem, “Marcada para Morrer” é bem esse tipo de livro. Dei tanta risada com as loucuras que acontecem na história e com a protagonista, que essa acabou se tornando a minha segunda série sobre bruxas favorita (a primeira é Hex Hall).


2. Triste?

Eu tenho que admitir uma coisa: sou muito chorona. E isso é um fato que independe de o livro ter sido escrito para me fazer chorar ou não. Mas quando penso em uma história que me fez ficar triste, mas triste de verdade, só consigo pensar em “Delírio”. Não sei o que a Lauren Oliver faz antes de começar a escrever, mas é certo que essa é a receita perfeita para fazer os seus livros tão envolventes. Acredito que mesmo quem não goste do gênero dessa série, não ficará impassível diante da poderosa escrita da autora.



3. Nervoso (com raiva)?

Sou uma leitora um pouco complicada quando o assunto é clichê. Ou o autor consegue desviar a minha atenção, ou eu acabo pegando birra dele só por não ter conseguido me surpreender. Mas de verdade, isso não seria um problema muito grande para mim se o autor uma vez ou outra variasse, só que Nicholas Sparks além de repetir os mesmos finais ad aeternum, em “Uma Carta de Amor”, ele ainda fez uma série de coisas que me deixou morrendo de raiva dele. Sinceramente? Não tenho a intenção de ler nada dele por um longo tempo...


4. Nostálgico?

Se tem um livro que me remete a infância e o aconchego na minha casa nas noites de inverno, esse livro é “Coraline”. Trazendo uma história um tanto assustadora até mesmo para os mais crescidos, ele é perfeito para quem busca uma leitura  cheia de aventuras e divertida. Sem falar que ele ainda tem o plus de ter sido escrito pelo (gênio) Neil Gaiman.


5. Assustado?

Atualmente sou suspeita para falar de livros escritos por autores escandinavos porque eles têm tomando conta da minha estante de forma surpreendente. “A Maldição de Dömaro”, por exemplo, era um livro que eu tinha boas expectativas pelo que eu já tinha ouvido falar do autor, mas que eu não tinha muito claro na minha mente o que eu esperava encontrar nele. Acredito que isso foi um fator determinante para que o autor conseguisse o maravilhoso feito de me deixar de cabelos em pé e tendo muitos pesadelos durante a leitura. Em uma palavra? Sensacional!


6. Surpreso?

Quando eu penso nas histórias de Sherlock Holmes, logo penso em “O Cão dos Baskerville”, pois diferente dos demais romances escritos por Doyle, esse tem um quê de especial que me rendeu desde a primeira página e continuou assim até o final da narrativa. Talvez o motivo disso, tenha sido a maneira esplendorosa com que o autor uniu vários gêneros em um único livro sem tornar as coisas confusas, ou talvez, tenha sido as várias reviravoltas da trama. A única coisa que sei com certeza é que queria mais histórias do Holmes nesse estilo.


7. Desapontado?

É triste quando você espera muito de um livro e ele não chega nem perto daquilo que você imaginou. Ainda mais quando você foi induzido a isso graças aos inumeráveis elogios tecidos pelos críticos. Esse foi o caso de “O Pacto”, com uma premissa maravilhosa, eu iniciei a leitura achando que ia encontrar uma história densa e aterradora, mas acabei sendo sugada por uma maré sem fim de lamentações por parte de uma protagonista que deveria ser mais firme. Espero que minha impressão ruim do Joe Hill seja retirada com a leitura dos demais livros dele.


8. Angustiado, aflito, agoniado?

Tem algo especial em “O Canto das Sereias” que me faz colocá-lo em toda e qualquer lista que trate sobre livros que de alguma formam mexeram comigo. Sendo um referencial da boa literatura policial na atualidade, a autora Val McDermid foi extremamente sagaz ao elaborar uma trama cujos detalhes e sutilezas fazem toda a diferença na surpresa final que ela reserva ao leitor. Mas mais do que isso, suas descrições precisas a respeito da tortura que o assassino realiza em suas vítimas com instrumentos medievais, tornaram a leitura extremamente angustiante. Tanto que passei vários dias com as cenas rondando em meus pensamentos...


9. Confuso?

Livros steampunk geralmente são confusos, não li muitos, mas os poucos que li me fizeram pensar assim. Afinal, não deve ser nada fácil explicar os inventos e todo o universo diferenciado de modo convincente... E mesmo quando os autores conseguem essa proeza, há algo que fica no ar que soa um pouco estranho. Pelo menos foi isso que eu achei após encerrar a leitura de “O Circo Mecânico Tresaulti”, pois mesmo o livro sendo bem escrito e o plot sendo incrível, não foram poucas às vezes que me senti, literalmente, boiando. Tudo foi tão estranho, que preferi dar uma pausa nos livros do gênero por tempo indeterminado.


Como vocês puderam ver, sou muito sentimental com relação as minhas leituras. Queria ser menos, já que assim eu seria menos revoltada com certos livros, mas fazer o quê? É mania de leitor mesmo! Ademais, como não vou marcar ninguém, gostaria que vocês deixassem para mim a listinha de vocês. Estou em busca de mais indicações de leitura.

--- Isabelle Vitorino ---

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela visita, dê sua opinião, participe e volte sempre.

- Caso tenha uma pergunta deixe seu e-mail abaixo que respondo assim que o comentário for lido.

- Caso sua mensagem não tenha relação com o post, envie para o e-mail.



ATUALIZAÇÕES DO INSTAGRAM