28 de dezembro de 2015

Resenha: O Projeto Ascendant por Drew Chapman

Não lembro de ter lido sequer um livro de conspiração política antes de "O Projeto Ascendant". Diante disso, uma coisa ficou muito clara para mim: preciso de mais leituras assim!

Título: O Projeto Ascendant
Série: Garrett Reilly #1
Autor: Drew Chapman
Editora: Record
Ano: 2015
Páginas: 476
Onde comprar: Saraiva | Submarino
Garrett Reilly, aos 26 anos, tem poucas preocupações na vida: fumar maconha, jogar videogame e ganhar muito dinheiro como o melhor funcionário de uma corretora de Wall Street. Ele tem uma habilidade especial: reconhece padrões onde pessoas comuns veem apenas o caos. E é assim que percebe uma torrente de títulos da dívida pública do governo dos Estados Unidos sendo oferecida de uma só vez no mercado, o que causaria a ruína da economia norte-americana... Mas isso pode representar algo ainda mais grave. Há uma guerra sendo travada, e ninguém foi capaz de notá-la. Quedas nas bolsas de valores, enormes desvalorizações imobiliárias, caos e destruição em servidores do Google. Sem dúvida, um inimigo poderoso está por trás de todas essas ações. E, para combater essa ameaça, as Forças Armadas precisam de alguém diferente, alguém preparado para desafios mais complexos em tempos mais difíceis. Em meio a um mundo de incertezas, resta a grande dúvida: seria Garrett Reilly o homem certo para salvar os Estados Unidos?

Garret é um cara que não pode ser classificado facilmente, pois na mesma medida que ele é desleixado, arrogante e com uma paixão nada secreta pela maconha, ele também é extremamente inteligente e consegue utilizar isso para ganhar dinheiro na bolsa de valores. Seu principal talento é reconhecer padrões, independente se eles são relativos a números, palavras ou acontecimentos. A verdade é que ele consegue fazer com que qualquer coisa se agrupe de maneira ordenada na sua mente de modo que o conduza até uma informação maior e melhor. Quando em um dia de trabalho comum ele vê uma enxurrada de títulos de dívidas públicas dos Estados Unidos da América colocadas à venda, ele institivamente sabe que aquilo não pode ser uma coisa boa para o país. Levado a revelar a descoberta para o seu chefe, logo a notícia chega ao conhecimento dos americanos mais poderosos e ele por sua vez, tem sua vida conduzida para um lugar que jamais quis estar: ao lado dos militares que assassinaram o seu irmão mais velho.

Tendo um ponto de vista alternado entre pessoas e lugares, "O Projeto Ascendant" é um livro cujo climax é alcançado de modo progressivo. Se começamos tendo um vislumbre da vida ordinária que Garret leva, aos poucos o autor vai mostrando que ele é muito mais do que um cara que está jogando a sua inteligência pelo ralo ao não levar nada nem ninguém a sério. Isso acontece precisamente no momento em que o país está sendo ameaçado por uma guerra com a China através de armas que os militares não tinham domínio completo. Os acontecimentos se desdobram de maneira bastante rápida a partir do momento em que Garret entra em evidência, pois ao que tudo indica, ele é aquilo que o governo sempre procurou para estar à frente de um projeto secreto e que até então ninguém teve competência suficiente para mantê-lo na ativa. O problema era que ele não estava se deixando convencer facilmente de se envolver com a situação, nem mesmo quando uma bela militar atravessa o seu caminho.

É certo que tenho um fraco por livros policiais, mas nunca havia procurado uma leitura que tivesse pretensão de destrinchar uma conspiração política de tamanha proporção. Entretanto, me sinto satisfeita por ter esse contato quase que inicial através da escrita de Drew Chapman. Imagino que aqueles que buscam um enredo cheio de assassinatos e situações de riscos não vá gostar tanto assim do que o autor propõe, porque na realidade o que temos é algo mais sútil onde toda a ação ocorre a nível intelectual e as tensões tem um cunho voltado a disputa e manutenção do poder político. Confesso que fiquei confusa durante boa parte da história porque não conseguia identificar o motivo da China ter escolhido especificamente os Estados Unidos para guerrear, pois apesar de todas as questões dissonantes que nós sabemos que circudam essas potências ao longo da história, não há uma razão clara para toda a provocação. Entretanto, é possível entender o porquê que a China quis uma guerra, ainda mais quando olhamos pelo prisma da política interna do país.

Diante desse cenário, o leitor é levado por uma jornada que o jogo político deve ser cuidadosamente pensado antes de uma peça ser movida, é por isso que mesmo com guerreiros extremistas em altos cargos dentro das Forças Armadas americanas, o confronto propriamente dito é algo que as autoridades querem evitar a todo custo. Inicialmente, o autor mostra o caos vivido pelo país onde vemos desde uma queda astrônomica dos pontos da bolsa de valores a invasão do parque da Google por hackers. Esses acontecimentos impulsionam uma ofensiva, mas sem a ajuda de Garret o governo não sabe muito bem que fazer. Nesse sentido, precisamos acreditar naquilo que Chapman está nos contando, pois ele nos induz a ver esse personagem como detentor de uma inteligência que o país precisa por ainda não possuí-la e que é essencial para modificar o curso das coisas. Estar dentro dos bastidores governamentais é algo curioso ao mesmo tempo em que é assustador, já que fica claro o quanto a sociedade sabe pouco do que acontece de fato por trás de prédios como a Casa Branca.

Em meio a todas essas tensões, o autor apresenta uma trama coerente para quem consegue imaginá-la como uma verdade possível de ocorrer, além de mostrar, personagens que são muito reais mesmo quando possuem habilidades que não estamos acostumados a lidar no nosso cotidiano. Gostei da maneira como o autor explorou todas as facetas do Garret e o fez entrar em processo de ascensão e queda no decorrer de todo o livro. Outra personagem que fez com que eu continuasse conectada aos acontecimentos, foi a Hu Mei. Senti apenas que o autor poderia ter mostrado mais dela como pessoa em sua individualidade, do que como símbolo de uma reforma ideológica. Esse ponto é perdoado porque ele conseguiu caracterizá-la e movê-la muito bem diante de tudo o que se propôs. A verdade é que "O Projeto Ascendant" tem muita história. É uma verdadeiro frenêsi de informações que deixa o leitor boquiaberto na maior parte do tempo. Não sabia para onde olhar, pois todas as direções pareciam essenciais para a trama. Diante de tudo isso, foi impossível fechar o livro sem a sensação de que fui totalmente engolida por uma história que mesmo na sua surrealidade possui muitas verdades e atualidades.

[...] Se você mantiver as pessoas na incerteza, se forçá-las a ficar tentando adivinhar, elas não terão muita chance de atacá-lo. Mais cedo ou mais tarde, terão que se colocar na defensiva. Pág. 430

--- Isabelle Vitorino ---

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela visita, dê sua opinião, participe e volte sempre.

- Caso tenha uma pergunta deixe seu e-mail abaixo que respondo assim que o comentário for lido.

- Caso sua mensagem não tenha relação com o post, envie para o e-mail.



ATUALIZAÇÕES DO INSTAGRAM