19 de agosto de 2015

Curta Cinema: Missão Impossível – Nação Secreta


Título Original: Mission Impossible – Rogue Nation
Título no Brasil: Missão Impossível – Nação Secreta
Diretor: Christopher McQuarrie
Duração: 132 minutos (2 horas e 13 minutos)
Elenco: Tom Cruise, Rebecca Ferguson, Jeremy Renner, Simon Pegg, Alec Baldiwn, Vig Rhames.
Ethan Hunt (Tom Cruise) descobre que o famoso Sindicato é real, e está tentando destruir o IMF. Mas como combater uma nação secreta, tão treinada e equipada quanto eles mesmos? O agente especial tem que contar com toda a ajuda disponível, incluindo de pessoas não muito confiáveis...


A franquia "Missão Impossível" volta pra encher nossos olhos mais uma vez, com muita ação e inteligência e ousadia. Tudo isso sem demonstrar o mínimo sinal de cansaço e com muito gás ainda pela frente.

O filme começa a mil por hora com Ethan Hunt (Tom Cruise, que além de estrelar, produz o longa) pendurado do lado de fora de um avião, tentando impedir que terroristas levem consigo parte de um arsenal atômico. O clima dessa cena já diz como será boa parte do filme: intenso e com uma grande trama. 

Depois, vemos uma discussão acalorada entre William Brandt (Jeremy Renner) e Alan Huntley (Alec Baldwin) sobre o que a IMF, a agência na qual Hunt, William e Benji trabalham, anda fazendo e se ela é realmente necessária. Alan mostra ao presidente o resultado quase catastrófico dessas operações e questiona se elas realmente são seguras e eficazes. Além de sugerir que Ethan, que está investigando uma organização chamada de "O Sindicato", é um agente corrupto e que o sindicato é apenas uma invenção sua utilizada para que possa esconder seus crimes.

Ethan então passa a ser considerado fugitivo pela CIA e tem que se esconder, enquanto tenta desesperadamente achar o homem que matou na sua frente uma agente da IMF e se possível, acabar com o sindicato.

O filme mantém o espírito da franquia de não usar um único diretor para mais de um filme, podemos dizer se observarmos que Brian de Palma dirigiu o primeiro, John Woo o segundo, JJ Abrahams o terceiro, Brad Bird o quarto e agora Tom Cruise trouxe Christopher McQuarrie (que já dirigiu Cruise no excelente "Jack Reacher: O último tiro"). A verdade é trazer sangue novo a franquia é algo sempre bom.

No quesito ação, a franquia mostra que ainda não explorou as fronteiras do impossível e a cada filme nos mostra que não há limites pra Tom Cruise e suas loucuras (o ator faz questão de não usar dublês nas cenas arriscadas). Isso mostra que o ator com 53 anos está mais em forma que muitos jovens por aí... 

O roteiro é inteligente, consegue nos manter presos ao filme e nos faz duvidar se algum daqueles personagens não morrerá na próxima cena. MI5 é imprevisível e isso é simplesmente ótimo. As atuações estão extraordinárias e o elenco em sua grande maioria dá a entender que se diverte retornando aqueles papéis.

No entanto, a maioria das cenas de luta do filme se dão de forma confusa porque são estragadas por closes e cortes. Sim, elas poderiam ser melhorar trabalhadas nesse quesito. Uma sugestão seria contratar algum coreógrafo oriental para coordenar todo esse processo. Ademais, as paisagens são lindas, a fotografia acertou em cheio nisso, bem como, em todas as cenas de ação que são visualmente incríveis (a perseguição de motos no Marrocos é linda).

Por fim, posso dizer que com belas fotografias, atuações de primeira, roteiro inteligente e empolgante, cenas de ação espetaculares e coreografias de lutas fracas, "Missão Impossível – Nação Secreta" mostra que Ethan Hunt ainda tem muito a nos oferecer. Com o sexto filme da franquia já confirmado, a única coisa que resta a ser dita é: que venham mais!



--- Igor Gabriel ---

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela visita, dê sua opinião, participe e volte sempre.

- Caso tenha uma pergunta deixe seu e-mail abaixo que respondo assim que o comentário for lido.

- Caso sua mensagem não tenha relação com o post, envie para o e-mail.



ATUALIZAÇÕES DO INSTAGRAM