Diário de Leitura: Outlander – A Viajante do Tempo (Parte I)


Publicada no Brasil desde o ano de 2004, a série “Outlander” vive um ano de transição. Adaptada para TV e conquistando o público e a crítica desde a data de estreia, o seriado já garantiu uma segunda temporada pelo canal americano Starz que promete entregar 16 episódios só nesse primeiro ano. Mas não é só isso, esse mês a editora Saída de Emergência lançou a nova edição de “A Viajante do Tempo”, o primeiro título da série escrita pela talentosa Diana Gabaldon.

Como uma debutante no universo da autora, me surpreendi sobremaneira com o tamanho do livro (exatamente 800 páginas) quando o recebi. E mesmo que eu não tenha nenhum problema com livros grandes, achei interessante trazer para vocês um “Diário de Leitura”, assim como a Mel, do blog Literature-se está fazendo com o livro “Moby Dick”. Dessa forma, durante todo o tempo em que eu estiver lendo, vocês poderão ver por aqui meus pensamentos e sentimentos com relação a história. No entanto, como eu não sei como será o meu ritmo de leitura, pretendo fazer uma nova postagem a cada 100 páginas lidas.

Resenha: As Regras da Sedução por Madeline Hunter

Madeline Hunter é uma conhecida escritora de romances, cujo prazer de ler suas histórias eu ainda não tinha tido até ter em mãos “As Regras da Sedução”. Entretanto, só bastou eu iniciar a leitura para perceber o porquê de tantos leitores terem sido rendidos pelas suas tramas e para ansiar por ter contato com outras obras suas que me tirassem (ou comprovassem) certas impressões que essa leitura deixou em mim.

Título: As Regras da Sedução
Série: Rothwell Brothers #1
Autor (a): Madeline Hunter
Editora: Arqueiro
Páginas: 272
Ano: 2013
Onde comprar: Saraiva | Submarino
Lorde Hayden Rothwell chega à casa de Alexia Welbourne sem aviso e sem ser convidado – um homem poderoso e sedutor, movido por interesses obscuros. Sua visita anuncia a ruína financeira da família de Alexia e o fim das esperanças da jovem de um dia conseguir um bom casamento. Para se sustentar, a moça recebe a proposta de ser dama de companhia de Lady Henrietta Wallingford e preceptora de sua filha. O problema é que a oferta vem do sobrinho de Henrietta, ninguém menos que lorde Hayden. Morando na casa da tia de Rothwell, Alexia descobre que a proximidade com o homem que destruiu sua família pode ser perigosamente irresistível. Num gesto impensado, ela se entrega a ele, e ambos se veem obrigados a se casar. O que Alexia não sabe é que os atos aparentemente arrogantes de seu belo e sensual marido são motivados por uma dívida de honra que pode levá-lo a sacrificar tudo. Com tantas mágoas e segredos entre eles, o casal tem tudo para se manter afastado. Mas Hayden é um homem apaixonante e Alexia, a tentação que o faz perder a cabeça. Morando sob o mesmo teto, eles acabam se aproximando e, juntos, vão descobrir um jogo de sedução em que cada um faz as próprias regras.

Resenha: O Visconde Que Me Amava por Julia Quinn

Julia Quinn é uma romancista extremamente talentosa. Tanto, que mal posso dizer o quanto me ressinto por não ter começado a ler de pronto as suas histórias. Em especial, porque foi esse adiamento que me impediu de conhecer antes o incrível “O Visconde que me Amava” e de me apaixonar perdidamente pela história de Anthony e Kate.

Título: O Visconde Que Me Amava
Série: Os Bridgertons #2
Autor (a): Julia Quinn
Editora: Arqueiro
Páginas: 304
Ano: 2013
Onde comprar: Saraiva | Submarino
A temporada de bailes e festas de 1814 acaba de começar em Londres. Como de costume, as mães ambiciosas já estão ávidas por encontrar um marido adequado para suas filhas. Ao que tudo indica, o solteiro mais cobiçado do ano será Anthony Bridgerton, um visconde charmoso, elegante e muito rico que, contrariando as probabilidades, resolve dar um basta na rotina de libertino e arranjar uma noiva. Logo ele decide que Edwina Sheffield, a debutante mais linda da estação, é a candidata ideal. Mas, para levá-la ao altar, primeiro terá que convencer Kate, a irmã mais velha da jovem, de que merece se casar com ela. Não será uma tarefa fácil, porque Kate não acredita que ex-libertinos possam se transformar em bons maridos e não deixará Edwina cair nas garras dele. Enquanto faz de tudo para afastá-lo da irmã, Kate descobre que o visconde devasso é também um homem honesto e gentil. Ao mesmo tempo, Anthony começa a sonhar com ela, apesar de achá-la a criatura mais intrometida e irritante que já pisou nos salões de Londres. Aos poucos, os dois percebem que essa centelha de desejo pode ser mais do que uma simples atração. Considerada a Jane Austen contemporânea, Julia Quinn mantém, neste segundo livro da série Os Bridgertons, o senso de humor e a capacidade de despertar emoções que lhe permitem construir personagens carismáticos e histórias inesquecíveis.

TAG: Livros + Emoções


Que faz tempo que eu não respondo uma tag, vocês já sabem. Mas quando o Marcel do blog Fan Boy me indicou para essa, não tive dúvidas de que iria respondê-la. Criada pelo canal Padfoot and Prongs 07 e traduzida pela Tatiana Feltrin do blog Tiny Little Things, ela consiste basicamente em apresentar para vocês os livros que me despertaram as mais variadas emoções. E como a leitora emocional que eu sou, livros e gifs são o que não faltam para mostrar hoje! Vamos lá?

Resenha: Hex Hall – O Sacrifício por Rachel Hawkins

No último volume da série Hex Hall fui acometida por uma profusão de emoções tão grande, que mesmo que eu imaginasse que isso ocorreria, não pude evitar sofrer e derramar muitas lágrimas com o final escolhido por Hawkins. Pois foi em meio a um clima decisivo, que ela iluminou meu coração para depois estilhaçá-lo em milhões de pedacinhos...

Título: Hex Hall – O Sacrifício
Série: Hex Hall #3
Autor (a): Rachel Hawkins
Editora: Galera Record
Páginas: 304
Ano: 2014
Onde comprar: Saraiva | Submarino
Neste terceiro volume de Hex Hall, Sophie Mercer, com seus poderes reprimidos pelo Conselho dos Prodígios e mais vulnerável do que nunca, deve impedir a guerra épica que se aproxima. O único feitiço capaz de ajudar Sophie a recuperar os seus poderes está bem guardado no Hex Hall, onde tudo começou, protegido pelas malignas irmãs Casnoff. Acompanhada de sua melhor amiga-vampira Jenna, seu namorado Archer, seu noivo Cal (sim, a vida amorosa dela é complicada), e uma fantasma pentelha, Sophie travará uma batalha contra um exército de demônios. Mas mesmo com seus melhores amigos e aliados, o destino de todos os Prodígios está nas mãos dela, e somente dela.

Resenha: Hex Hall – A Maldição por Rachel Hawkins

Hex Hall é o tipo de série que eu não entendo porque não fez sucesso entre os leitores brasileiros. Talvez seja o meu sentimentalismo falando mais alto, mas a verdade é que recheada de elementos contagiantes, como romance, fantasia e aventura, ela se torna uma referência quando penso em uma leitura leve e viciante. Por isso, se você não conhece a série, mas gosta do gênero, prepare-se para adicionar novos livros a sua lista de desejados!

Título: Hex Hall – A Maldição
Série: Hex Hall #2
Autor (a): Rachel Hawkins
Editora: Galera Record
Páginas: 320
Ano: 2013
Onde comprar: Saraiva | Submarino
Sophie Mercer pensava ser uma bruxa. Por isso foi mandada para Hex Hall, um reformatório para Prodígios — vampiros, fadas, etc — problemáticos. Mas isso foi antes dela descobrir um terrível segredo de família... e que estava apaixonada por certo agente do L’Occhio di Dio, uma organização decidida a varrer da terra os seres sobrenaturais. Agora, de férias com o pai, ela precisa decidir o que fazer com os próprios poderes, um noivo de última hora e uma conspiração que ameaça a paz entre mortais e mágicos.

Falando sobre... Young Adult e New Adult


O que diferencia os livros Young Adult dos New Adult? Essa é uma dúvida que vem se tornando cada vez mais frequente não só entre os leitores, como também, entre os autores. Afinal, saber o que limita um gênero do outro é essencial para que se possa compreender melhor quais são as características das histórias que se encaixam nessas categorias. E foi pensando nisso, que nos 12 e 13 de julho vários autores, leitores e blogueiros se reuniram na Convenção de Literatura Young Adult.

Na ocasião, escritores como Patrick Ness (Mundo em Caos), Rainbow Rowell (Eleanor & Park) e Sara Manning (Onde Deixarei Meu Coração), deram suas opiniões acerca do assunto e a maioria concordou que a principal diferença entre os gêneros é a protagonista adolescente dos livros YA em detrimento a protagonista que está entrando em uma vida mais adulta nos livros NA. Mas não é só isso, um ponto que foi bastante discutido entre os presentes foi a abordagem sexual nas histórias.