2 de dezembro de 2015

Confissões de Uma Blogueira em Crise: As Metas que Nunca se Cumpriram


Esses dias estava verificando as estatísticas do blog e qual foi a minha surpresa ao ver que a postagem que escrevi no começo do ano falando sobre os livros que pretendia ler ao longo de 2015, foi uma das mais visualizadas. Naquele momento senti uma sensação incômoda de ter decepcionado todos os leitores que acreditaram que eu conseguiria cumprir a minha meta em sua totalidade. Muitos são os motivos que eu posso elencar para explicar o naufrágio das leituras que eu planejei fazer, mas vou resumir tudo no seguinte ponto: conciliar trabalho, faculdade e blog.

Eu sei que vocês já estão cansados de ler minhas reclamações a respeito de tudo isso, porém, confesso que pensei que fosse me afogar com tantas tarefas para executar. A sensação de que eu iria sufocar, de que eu não conseguiria dar conta de tudo aquilo que eu tinha me proposto fazer foi tanta que há dois meses passei a ter crises consecutivas de ataques de pânico. Eles surgiam de mansinho sem que eu sequer me desse conta do que tinha me atingido  e quando me dei conta estava eu a caminho de uma palestra aos prantos, com a sensação esmagadora de medo e ansiedade.

Queria ter poderes extraordinários, era isso! Porque nenhuma pessoa poderia fazer tantas coisas ao mesmo tempo sem sentir ao menos aborrecimento por sua vida estar passando e você não ter ido àquela festa que queria, ter feito aquela viagem ou até mesmo ter curtido seu final de semana com a família. Foi difícil voltar a respirar, mas depois de tanto sofrer, me dei conta de que o botão vermelho de alerta estava aceso há muito tempo e que aquilo era um sinal claro que eu precisava diminuir o ritmo antes que outros problemas surgissem em minha vida.

O que eu fiz? Me esforcei mais um pouco e me dediquei como ninguém aos meus estudos para que eu conseguisse ficar de férias o mais rápido possível, foquei que novembro era o meu último mês de trabalho do ano e em meio a isso tudo me apeguei na esperança de que mesmo não tendo cumprido metas tão simples de se cumprir como essa de ler 10 livros que eu desejava conhecer, isso não me tornava menos responsável ou menos capaz de conseguir realizar outras promessas que eu com certeza continuria fazendo para mim mesma.

É claro que esse é apenas um exemplo das promessas que fiz e ainda não cumpri, mas a verdade é que não é um momento ou uma situação que define quem uma pessoa é ou o que ela capaz de realizar, pois é inegável que há em cada um a capacidade de superação, seja dos acontecimentos extrínsecos ou intrínsecos. O que é necessário é trabalhar o poder de se perdoar por ter falhado em algum ponto, bem como, a aceitação de que as metas são apenas um norte para a vida e não toda a sua vida.

E vocês, o que podem me contar a respeito de suas metas (cumpridas e não cumpridas)? Já sentiram o mesmo que eu? Como fazem para superar a decepção que vocês causaram a si mesmos?

Playlist:


--- Isabelle Vitorino ---

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela visita, dê sua opinião, participe e volte sempre.

- Caso tenha uma pergunta deixe seu e-mail abaixo que respondo assim que o comentário for lido.

- Caso sua mensagem não tenha relação com o post, envie para o e-mail.



ATUALIZAÇÕES DO INSTAGRAM