20 de outubro de 2015

Resenha: Sangue Mágico por Ilona Andrews

Eu adoro uma boa personagem badass, que não se rende por nada nem por ninguém. Ainda mais quando o mundo está um caos e ela não se importa em chutar alguns traseiros no caminho para salvar aqueles que ama. Se você também gosta desse perfil, apresento-lhes Kate Daniels.

Título: Sangue Mágico
Série: Kate Daniels #1
Autor (a): Ilona Andrews
Editora: Saída de Emergência
Páginas: 256
Ano: 2015
Onde comprar: Saraiva | Submarino
Se não fosse pela magia, Atlanta seria uma boa cidade para viver. No momento em que a magia domina, os carros param e as armas falham.  Quando a tecnologia assume, os feitiços de proteção já não protegem sua casa dos monstros. Aqui, os arranha-céus são derrubados pelo ataque da magia; homens-lobo e homens-hiena rondam as ruas arruinadas; e os Mestres dos Mortos, necromantes impulsionados pela fome de poder, comandam vampiros com suas mentes. Neste mundo, vive Kate Daniels. Kate gosta um um pouco demais de usar a sua espada e tem dificuldade de ficar calada. A magia em seu sangue a torna um alvo, e ela passa a maior parte da vida se escondendo no meio da multidão.  Mas quando o guardião de Kate é assassinado, ela deve optar entre não fazer nada e manter-se segura… ou perseguir o assassino sobrenatural. Esconder-se é fácil, mas a escolha certa nunca o é...

Atlanta não é mais a mesma cidade que fora um dia. Agora, a magia pulsa nas ruas de forma constante e a sua força briga com a energia tão necessária para que os humanos consigam sobreviver. O cenário certamente é caótico, criaturas das sombras estão sempre à espreita para atacar quem estiver no seu caminho, mas nenhuma rixa poderia ser maior do que é entre os Necromantes, que buscam uma ciência capaz de tornar mais forte os seus vampiros, e as Feras, pessoas de todas as origens que sofreram uma mutação genética que os tornam capazes de se transformar em seres do mundo animal.

No meio disso tudo, está Kate Daniels, uma mulher que sabe muito bem o que quer: se manter invisível aos olhos de todos e ganhar dinheiro o suficiente para sobreviver. Entretanto, tudo o que ela sempre lutou duramente para manter fica ameaçado após a descoberta de que o seu guardião foi morto após assumir uma estranha missão. Impelida a descobrir o que aconteceu, ela faz algo que nunca imaginou que faria: unir-se a Ordem. A verdade é que perder a única família que ela tinha, a deixa em um estado onde a sede por vingança torna-se o único caminho para apaziguar a ira que sente. Nada pode impedi-la de seguir adiante, nem mesmo as constantes tentativas de homicídio que sofre.

Narrado em primeira pessoa pela protagonista Kate Daniels, o livro “Sangue Mágico” consegue colocar o leitor aos seus pés logo nas primeiras páginas. Repleto de mistérios e de magia, a sensação que se tem é que as surpresas não terão fim. Mas não se engane ao pensar que por a protagonista ser mulher que logo ela se encantará por um personagem bonitão e esquecer das suas motivações, porque a verdade é que isso não acontece em momento algum. Já li algumas resenhas sobre o livro e percebi que muitos leitores se incomodaram com a falta de romance, mas o que pude notar é que a autora¹ optou por uma abordagem mais sútil e gradual desse aspecto para Kate, visto que esse é apenas o primeiro volume de uma série que contará com dez livros.

Ademais, há uma tensão muito grande entre ela e Curran – um personagem emblemático e que conquistou o meu coração –, ele é o Senhor das Feras e pertence a um dos lados que existe na batalhas entre seres sobrenaturais. Sobre isso, posso dizer que se comumente os livros abordam o embate entre vampiros e lobisomens de maneira até simplista, em “Sangue Mágico” o que ocorreu foi uma divisão desses seres a partir de fatores como mutação genética e experiências científicas. As Feras compõe um grupo composto por homens que se transformam em hienas, ratos, lobos, panteras, ursos e até mesmo leões. Já quando o assunto são os vampiros, eles são criados a partir de pessoas que morreram e que voltaram a vida através da necromancia.

Particularmente tenho uma predileção pelas Feras, pois imaginação não faltou na hora de compor esses personagens que muitas vezes possuem uma personalidade muito semelhante a de seu correspondente no mundo animal. Se esses detalhes já me deixaram entusiasmada, fiquei ainda mais feliz ao notar que esse urban fantasy possuía um bom número de cenas de ação e que se distanciou daquela apelação sexual que normalmente se encontra nos livros do gênero. Apesar de ter conseguido decifrar com facilidade o antagonista da história (coisa que eu não gosto), acho que a autora concluiu muito bem esse primeiro livro e conseguiu resolver todos os conflitos originados não só pela morte do guardião, como também, pelo poder do sangue da própria Kate. Tanto que fiquei ansiosa para continuar acompanhando as incríveis histórias de Kate Daniels.

Você já conheceu alguém e sentiu… Não sei como descrever… sentiu uma chance de ter algo que escapara de você?

¹ Ilona Andrews é na verdade um pseudônimo criado para a dupla de autores Ilona e Gordon, eles são marido e mulher, e escrevem a série Kate Daniels.

--- Isabelle Vitorino ---

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela visita, dê sua opinião, participe e volte sempre.

- Caso tenha uma pergunta deixe seu e-mail abaixo que respondo assim que o comentário for lido.

- Caso sua mensagem não tenha relação com o post, envie para o e-mail.



ATUALIZAÇÕES DO INSTAGRAM