30 de setembro de 2015

Mulheres nos Quadrinhos #3 – Os Mangás e as Mulheres

Para finalizar nossa conversa sobre como as mulheres são retratadas na sétima arte, resolvi trazer para vocês um pouco de minhas experiências de como vejo as garotas nos mangás!

Não sei vocês, mas eu sempre cresci com uma ideia do pessoal oriental como aquela civilização exótica e retrógrada, com direitos humanos quase escassos e direitos feministas inexistentes. Eis minha surpresa ao começar a ler mangás e perceber que, pelo menos no entretenimento, eles estavam anos-luz a frente dos ocidentais nesse quesito!


Lembro como se fosse ontem que, em meus primeiros contatos com quadrinhos e animações japoneses, garotas sempre tiveram um destaque incrível nas histórias. Talvez pela gama imensa de gêneros dos mangás, que, diferente de quadrinhos de super-heróis, orbitam sempre numa mesma sequencia de ideias e plots, ou quem sabe por uma liberdade maior na criação, pelo fato de mangás, diferente de quadrinhos americanos, terem um fim, mas o importante é que vemos mulheres existindo de todos os tipos, tamanhos, formas, religiões e temperamentos.


Dentre a vasta gama nesse universo, creio que a minha preferência recai pelas personagens da CLAMP. Esse grupo de mangakás¹ que amam polemizar seus quadrinhos, de uma forma extremamente consciente, nos brinda com uma gama tão extensa de personagens que fico pasmo! Ao mesmo tempo em que estamos com Hikaru, Umi e Fuu enfrentando criaturas em Zefir, estamos tendo ataques de riso e fofura com a Chii, ou caçando cartas com a Sakura. E mesmo essas personagens não são estereotipadas, como muito vemos no ocidente. As Guerreiras Mágicas tinha tudo para serem aquele tipo de guerreira Tomboy que sai matando e soltando frases de efeitos, mas eis a surpresa que são três adolescentes doces, simpáticas e por que não chatinhas de vez em quando?

Mesmo em mangás Shoujo² , que geralmente temos uma exploração maior de romances e dramas, há personagens tão independentes e incríveis que não precisão de um báculo mágico, ou de uma espada que evolui para nos cativar.

Olhem a Honda Tohru, de Fruits Basket, me digam se ela precisa de algum poder pra ser a mais incrível personagem de todos dos tempos! Ela é aquele tipo de garota que normalmente passaríamos despercebidos, mas que nos mostra que devemos sorrir e sermos gratos, mesmo diante das maiores diversidades da vida! (Comentários a parte, o elenco todo desse mangá é maravilhoso, façam um favor a vocês mesmos e leiam essa obra de arte!)

E como se já não bastasse isso, nos mangás Shounen³ também temos mulheres incríveis, mesmo que por vezes escassas.

Bulma é um dos personagens mais marcantes de DragonBall Z. Ela é um alivio cômico, e vamos admitir que sem ela no elenco a história talvez se tornasse um pouco maçante com lutas atrás de lutas. Saint Seiya não fica atrás, pois apesar de poucas, Marin e Shina são duas mulheres que cativaram a atenção dos fãs da série, e não são apenas um suporte, como por vezes tem uma importância muito significativa nas aventuras do protagonista.

Três dos mangás de maior sucesso da atualidade, Blech, Naruto e One Piece, o que seriam deles sem seu elenco feminino? E mesmo as que começaram como meras secundárias foram ganhando tanto espaço e força ao longo da história que é impossível que não se tenha 3 ou 4 exemplos que se fixem na cabeça dos leitores.
Hiromu Arakawa

Algo que vale a pena como nota também são as próprias escritoras. Não achem que mulheres apenas escrevem dramas românticos, e olha que mesmo esses são muito bem trabalhados (vide CLAMP), temos DIVERSAS autoras escrevendo mangás adultos ou mesmo com material mais “masculino” e que não deixam nada a desejar. Olha a Hiromu Arakawa, que foi responsável por uma das séries mais famosas do mundo, Fullmetl Alchemist.

Diferente dos ocidentais, os quadrinistas do oriente focam muito mais na essência do ser humano. Mesmo em mangás com temática mais “boba” ou “infantil”, sempre há algo que fala com o nosso interior e nos faz rever alguns conceitos que adotamos ao longo da vida, ou mesmo consolidá-los. Em suas personagens isso não é algo diferente. Mesmo aquele drama bobinho da “menina que quer o rapaz dos sonhos” aprofunda sobre seus desejos e aspirações e, o melhor de tudo, não foca apenas nisso. Essa mesma garota tem uma vida a ser explorada, onde diversos autores fazem com uma maestria extrema.

E deixo a pergunta: “Quais são suas personagens de mangá favoritos e como vocês acham que os autores enxergam esses personagens?”

Conto com vocês para uma discussão bastante animada! =D

Mangáká¹ - A pessoa que desenha mangá
Shoujo² - Mangás cujo público alvo são jovens mulheres
Shounen³ - Mangá cujo publico alvo são jovens homens

--- Marcel Elias ---

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela visita, dê sua opinião, participe e volte sempre.

- Caso tenha uma pergunta deixe seu e-mail abaixo que respondo assim que o comentário for lido.

- Caso sua mensagem não tenha relação com o post, envie para o e-mail.



ATUALIZAÇÕES DO INSTAGRAM