4 de fevereiro de 2014

Li até a página 100 e... #5


Seção do blog Eu Leio, Eu Conto, da Cibele, onde o blogueiro fala um pouco do livro que está lendo. Qualquer pessoa pode participar!

Sobrevivente
Chuck Palahniuk

Primeira frase da página 100:
É nessa noite que eu volto a atender o telefone.

Do que se trata o livro?

Tander Branson chegou ao seu limite e agora se encontra dentro do avião que ele sequestrou narrando toda a sua trajetória de vida para a caixa-preta antes de morrer. Ele quer aproveitar essa oportunidade para contar a sua história e todos os detalhes que colaboraram para que ele, um ex garoto do interior, quase se transformasse em um religioso com o poder de disseminar as suas crenças para uma multidão fervorosa. 

O que está achando até agora?

Eu sinceramente queria ter um mapa com legendas para entender o que o Palahniuk quer passar através da história desse livro. O motivo para isso é bem simples: eu não sei por que ele faz o personagem divagar tanto. É certo que estamos conhecendo todas as lembranças de alguém que está vivendo uma situação extrema, mas eu queria que ele tivesse um pouco mais de concentração e parasse de abordar coisas que não parecem ser tão importantes para a trama como um todo. Mas, bem, pode ser que eu esteja sendo insensível... Portanto, vou me apegar aos pontos positivos da trama e ver até onde o autor vai me levar.

O que está achando da protagonista?

Tender não está sendo um personagem fácil de entender. Ele é complexo, tem uma personalidade estranha e uma tendência a divagar impressionante. Não sei se gosto ou não dele, afinal, a maior parte do tempo ele soa confuso. Entretanto, o modo como ele é sarcástico e irônico – principalmente a respeito da sociedade – me deixa presa à narrativa e com vontade de saber o que o conduziu até a sua situação limite, já que por mais que eu tenha minhas desconfianças, imagino que a verdade será surpreendente.

Melhor quote até agora:
Quando você encontrar alguém especial, pode contar que um dia essa pessoa vai estar morta e enterrada.  Pág. 338 (teoricamente página 38)

Vai continuar lendo?

Sempre ouvi maravilhas da escrita de Chuck Palahniuk e coloquei muitas expectativas nesse livro. Contudo, até agora só estou me sentindo confusa com as informações que ele forneceu. Espero que tudo isso faça sentido, porque sim, vou continuar com a leitura.

Última frase da página:
Não importava o que era roubado: sapatos, fita adesiva, uma raquete de tênis.

--- Isabelle Vitorino --- 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela visita, dê sua opinião, participe e volte sempre.

- Caso tenha uma pergunta deixe seu e-mail abaixo que respondo assim que o comentário for lido.

- Caso sua mensagem não tenha relação com o post, envie para o e-mail.



ATUALIZAÇÕES DO INSTAGRAM