22 de maio de 2014

Resenha: Graffiti Moon por Cath Crowley

Graffiti Moon foi um livro que me interessou desde o princípio por entrar em uma categoria de livros que eu gosto bastante: o gênero Young Adult. No entanto foi ao saber que ele possuía o plus de ser considerado “coming of age” que eu me vi ainda mais ansiosa para realizar a leitura, pois além dele tratar de situações que ocorrem na adolescência, ele traz também um maior desenvolvimento dos personagens por buscar o amadurecimento deles. Mas eu nunca imaginei que fosse me identificar tanto com essa história...

Título: Graffiti Moon
Autor (a): Cath Crowley
Editora: Valentina
Páginas: 240
Ano: 2014
Onde comprar: Saraiva | Loja da Valentina
Uma aventura emocionante e perigosa como um grafite clandestino. Uma noite de arte e poesia, humor e autodescoberta, expectativa e risco e, quem sabe, amor verdadeiro. Um artista, uma sonhadora, uma noite, um significado. O que mais importa? O ano letivo acabou, aliás, o último ano do ensino médio. Lucy planejou a maneira perfeita de comemorar: essa noite, finalmente, ela encontrará o Sombra, o genial e misterioso grafiteiro, cujo fantástico trabalho se encontra espalhado por toda a cidade. Ele está de spray na mão, escondido em algum lugar, espalhando cor, desenhando pássaros e o azul do céu na noite. E Lucy sabe que um artista como o Sombra é alguém por quem ela pode se apaixonar — se apaixonar de verdade. A última pessoa com quem Lucy quer passar essa noite é o Ed, o cara que ela tem tentado evitar desde que deu um soco no nariz dele no encontro mais estranho de sua vida. Mas quando Ed conta para Lucy que sabe onde achar o Sombra, os dois de repente se juntam numa busca frenética aos lugares onde sua arte, repleta de tristeza e fuga, reverbera nos muros da cidade. Mas Lucy não consegue ver o que está bem diante dos seus olhos.

Chrystie st. btw. Broome and Grand.
N.Y.C. 1994. - Dan Witz-
É noite de formatura do Ensino Médio e Lucy e suas amigas pretendem comemorar. No entanto, mais do que qualquer outra coisa Lucy quer encontrar o esquivo grafiteiro conhecido como Sombra. O motivo para isso é que assim como ela, ele é um artista. Contudo, ao invés de dar forma ao vidro, ele espalha arte pela cidade através de desenhos que são uma amostra da sua própria alma e que se tornam ainda mais belas com os textos deixados pelo Poeta que o acompanha na maior parte dos seus trabalhos.

O que ela não sabe é que o garoto pelo qual ela nutre uma paixão platônica está mais perto do que ela imagina e que com uma vida repleta de problemas e incertezas pode não estar na mesma sintonia que ela – que já tem um belo futuro começando a ser trilhado. E é sem enxergar o que está na sua frente que Lucy vê a sua noite de festas ser transformada em uma noite de descobertas e de autoconhecimento, onde ao final ela não só terá mudado muito de seus conceitos, como também, a maneira como ela encara a vida.

Berry btwn. S. 8th and S. 9th. Brooklyn,
NY 1997. - Dan Witz -
“Graffiti Moon” é o tipo raro de livro que toca o leitor de maneira profunda por trazer uma história encantadora narrada de forma tão lírica que as palavras fluídas tornam o texto uma poesia viva que deixa suas marcas mesmo quando a última linha há muito já foi lida. Com dramas reais, a autora também expõe e explora a vida dos personagens em uma única noite onde tudo parece possível de acontecer. E mesmo quando a verdade está explicita para o leitor, a ansiedade para que os segredos do Sombra e do Poeta sejam revelados tornam a leitura ainda mais emocionante. Principalmente porque é impossível não ansiar para que Lucy chegue ao fim do mistério que ela tanto lutou para desvendar e nos revele seus pensamentos sobre o que achou daquilo que encontrou.

2001. Allen St. btw. Hester and Grand.
- Dan Witz -
No entanto, é através da arte que a autora Cath Crowley alcança um nível de sensibilidade extasiante. Ainda mais porque ela utiliza obras de arte como “Os Amantes” de Rene Magritte e “Mulher com um Corvo” de Picasso para ilustrar sentimentos que as palavras não são suficientes para expressar o seu verdadeiro significado. Mas ela não para por aí, ela vai além ao descrever com riqueza de detalhes cada grafite importante produzido pelo Sombra. E foi lendo suas descrições que eu montei em minha mente uma galeria de arte onde os desenhos do Sombra se assemelhavam aos trabalho do artista americano Dan Witz, que possui traços extremamente belos e realistas – que parecem ser os melhores adjetivos para descrever também os desenhos desse personagem tão complexo.

Birds. 1979. - Dan Witz -
Além disso, por ser narrado de forma alternada entre os personagens principais de sua trama, o leitor também tem a chance de conhecer os textos repletos de emoção do Poeta que completa de modo perfeito toda a delicadeza que permeia a trama criada por Crowley. Os escritos dele junto com certas passagens da história não só me emocionaram, como também, me fizeram marcar tantas páginas que eu não tenho o menor receio de admitir que “Graffiti Moon” traduz muito dos meus próprios sentimentos e emoções. E mesmo que algumas atitudes de Lucy tenham tornado o romance um pouco exagerado pelo nível de intensidade expressado por ela em tão pouco tempo, acredito que a autora conseguiu traduzir de forma muito realista todos os sentimentos de incerteza, angústia e paixão sentidos na adolescência. Em suma, um livro excepcionalmente belo e delicado que não pode faltar na estante daqueles que apreciam a arte, a poesia e o amor em todas as suas formas.

 
[...] Lembre que
O amor
Envolve com os dedos o seu coração
E o segura
Submerso
Lembre-se disso
Quando a próxima garota sorrir. Pág. 69

Playlist:


* Todas as imagens foram retiradas do site de Dan Witz e todos os direitos pertencem a ele.

--- Isabelle Vitorino ---

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela visita, dê sua opinião, participe e volte sempre.

- Caso tenha uma pergunta deixe seu e-mail abaixo que respondo assim que o comentário for lido.

- Caso sua mensagem não tenha relação com o post, envie para o e-mail.



ATUALIZAÇÕES DO INSTAGRAM