Resenha: Lola e o Garoto da Casa ao Lado por Stephanie Perkins


Existem autores que você lê, gosta e esquece. Mas há outros que você lê, se apaixona e jamais o esquece. E posso dizer com a mais absoluta certeza, Stephanie Perkins está no segundo grupo. Quer saber o porquê de tamanha admiração por minha parte? Leia esta resenha até o fim e depois clique aqui para ler as minhas impressões do seu primeiro livro, Anna e o Beijo Francês.

Título: Lola e o Garoto da Casa ao Lado
Editora: Novo Conceito
Ano: 2012
Páginas: 288
A designer-revelação Lola Nolan não acredita em moda… ela acredita em trajes. Quanto mais expressiva for a roupa — mais brilhante, mais divertida, mais selvagem — melhor. Mas apesar de o estilo de Lola ser ultrajante, ela é uma filha e amiga dedicada com grandes planos para o futuro. E tudo está muito perfeito (até mesmo com seu namorado roqueiro gostoso) até os gêmeos Bell, Calliope e Cricket, voltarem ao seu bairro. Quando Cricket — um inventor habilidoso — sai da sombra de sua irmã gêmea e volta para a vida de Lola, ela finalmente precisa conciliar uma vida de sentimentos pelo garoto da porta ao lado?

Lola é o tipo de garota que foge à regra, principalmente quando o assunto é moda. Diferente das demais pessoas ela acredita que as roupas servem para mostrar sua personalidade e seu humor e é através delas que ela mostra ao mundo todas as suas nuances. Seguindo contrário ao que todos da sua escola imaginam, mesmo com seu jeito irreverente ela conseguiu um namorado que além de muito gato, toca e canta em uma banda de rock que condiz exatamente com a sua personalidade. Mas sua vida suave, cujo maior problema é encarar os cafés da manhã de domingo com os seus pais junto com seu namorado, está prestes a desmoronar, pois contra todas as possibilidades, as pessoas que ela mais desejava não ver sob nenhuma hipótese estão de volta à cidade e agora ela precisa tomar uma difícil decisão a respeito dos gêmeos Bell, principalmente com relação à Cricket, o garoto da casa ao lado que ainda mexe de forma profunda com os seus sentimentos.

Uma das principais qualidades de Perkins é nos conduzir por uma história clichê de modo suave, engraçado e interessante. Não sei se há muitas formas de estragar uma história “pré” formulada, mas sei que há várias maneiras de dar vivacidade tanto a uma história quanto aos personagens dela. E no seu segundo livro, essa maravilhosa autora nos apresenta Lola, uma garota completamente desajustada (no sentindo de padrão socialmente aceitável de se vestir) e que além de apaixonada por rock, parece estar conseguindo superar muito bem a decepção vivida com Cricket, o seu vizinho que a decepcionou de várias formas antes de partir. Contudo, quando ela menos espera Cricket e Calliope voltam para cidade e todo o sentimento de mágoa que ela tão duramente manteve adormecido volta com força total para atormentá-la.

Todavia, contrariando o que ela imaginava, Cricket volta decidido a esclarecer tudo que aconteceu, bem como, determinado a tê-la de volta em sua vida mesmo que para isso tenha que manter a raia sua irmã Calliope, que apesar de ser linda e ter uma carreira invejável como patinadora, tem ciúmes do seu irmão e inveja dos adolescentes que ao contrário dela, puderam ter uma vida normal. E é assim, entre personagens formidáveis que vamos vendo a jornada de Lola que consiste basicamente em superar os próprios medos e tomar decisões baseadas no que ela sente verdadeiramente e não no que ela acha que sente.

Assim como em Anna e o Beijo Francês, eu me identifiquei com os personagens, mas confesso que o primeiro livro ainda é o meu predileto e foi por isso, que eu mal pude acreditar quando a autora forneceu não só um, mas vários vislumbres do que aconteceu com Anna e St. Clair nesse tempo em que eles ingressaram na universidade. De verdade, foi uma delícia “rever” aquele casal apaixonante de novo. E foi observando eles que eu cheguei a uma conclusão bem interessante do segundo livro de Perkins: apesar do livro ser narrado por Lola, o leitor reconhece com maior facilidade os sentimentos de Cricket do que o da própria narradora. Fato que foi fantástico de várias formas e por isso minhas últimas palavras não podiam ser outras que não: Leiam! Leiam! Leiam!


Ficamos em silêncio por vários minutos. Viro a cabeça e presto atenção à rua, à Lua, à rua. Sinto que ele presta em mim, nas estrelas, em mim. O vento é cortante. Quero entrar, mas tenho medo de perder sua companhia. Nossa amizade está novamente à beira da extinção. Não sei o que quero, mas sei que não quero perdê-lo. Pág. 131


Playlist:

6 comments

Thais Priscilla 24 de janeiro de 2013 21:14

É uma fofura mesmo.
Eu adorei o livro, ainda mais pelo fato de ter a Anna e o Etienne s2

Beijinhos,
Thais Priscilla
http://thaypriscilla.blogspot.com.br

Enfim Shakespeare 24 de janeiro de 2013 22:24

Perkins é ótima, ela sabe nos conduzir cada vez mais para um mundo leve e divertido.

http://enfimshakespeare.blogspot.com.br

Luciana Curvello 28 de janeiro de 2013 17:51

Olá,
Parece ser um livro muito legal. Quero ler!
Gostei bastante da resenha.
Estou te seguindo e te convido a me fazer uma visita.
http://vergostarler.blogspot.com.br/
Bjos
Lu

Rosana Apolonio 8 de fevereiro de 2013 11:07

Perkins é maravilhosa. Li Anna e o Beijo Francês e mal posso esperar para ler não só este quanto o "Isla e o Felizes Para Sempre" que se passará na França (*-*), mas não sei quando isso irá acontecer. Espero que em breve, pois estou muito ansiosa mesmo para saber o que acontece com Anna e St. Clair. ;)

Neny 8 de fevereiro de 2013 19:10

Eu adorei Anna e o beijo francês, e este desde que fiquei sabendo que seria lançado aqui eu quero muiito..mas falta o $$$, quem estuda entende rs.
Curiosa para sabercomquem ela termina e o que aconteceu que deixou ela tão bravo com o vizinho, amei sua resenha so me deixou ainda mais com vontade de ler,
beijos.

Isabelle Vitorino 8 de fevereiro de 2013 19:42

Olá Neny,
Eu entendo você sim, o período em que estamos estudando sempre acaba faltando dinheiro para a maioria das coisas. -rsrs- Ah, tem muita coisa que implica nos relacionamentos que a Lola tem durante o livro. Quando você tiver a oportunidade de ler, você perceberá isso, é uma aflição só! Que bom que você gostou da resenha, viste-nos mais vezes e comente mais vezes também, é ótimo saber o que os leitores pensam sobre o que escrevemos.
Beijos!

Postar um comentário

Obrigada pela visita, dê sua opinião, participe e volte sempre.

- Caso tenha uma pergunta deixe seu e-mail abaixo que respondo assim que o comentário for lido.

- Caso sua mensagem não tenha relação com o post, envie para o e-mail.