Resenha: Favela Paris


Vocês já imaginaram uma favela diferente? Uma favela transformada onde as pessoas não só pudessem viver felizes, mas também pudessem sair tranquilamente pelas ruas? Não? Sim? Independente das suas respostas é importante que vocês saibam que o autor Sidney Amaral além de pensar nisso, nos mostra ao decorrer das fascinantes páginas de seu livro um modo bem peculiar e visionário de acabar de vez com o tráfico de drogas no Brasil. Ficaram curiosos para saber um pouco mais sobre como esse enredo se desenvolve? Leiam esta resenha até o fim, tenho certeza que vocês não vão se decepcionar.

Título: Favela Paris
Autor: Sidney Amaral
Editora: Aped
Ano: 2012
Páginas: 188
E se um sonho fosse o propulsor de mudanças tão radicais que projetariam um futuro até então inimaginável nas favelas do Brasil? E se o destino unisse três pessoas, marcadas a ferro pela violência urbana, e lhes apresentasse os caminhos de uma revolução? Vindo nordeste do Brasil, Ari chegou no Rio de Janeiro ainda jovem, quando foi acolhido por um tio, que lhe deu a morada em uma favela carioca e o ofício de construtor. Jaqueline de Oliveira Bastos é uma empresária carioca, multimilionária, sobrevivente de um traumático sequestro, sem família, nem amigos. Carlos é um tenente da polícia militar do Rio de Janeiro. Ele tem uma carreira exemplar. São pessoas marcadas pela violência. Embora vivam realidades distintas, eles compartilham o mesmo desejo incontrolável, quase inconsequente, de perpetrar uma revolução. Um conjunto de coincidências providenciará o encontro inusitado dessas três pessoas e a execução de um plano sem precedentes: acabar com o tráfico de drogas nas cidades brasileiras.


Ari é um nordestino que trabalha como construtor na cidade do Rio Janeiro, possuidor de um bom coração ele faz todo o possível para fazer as coisas corretas e ajudar a quem necessita. Apesar de ter boas condições financeiras, ele nunca se imaginou saindo da favela que o acolheu, mas sim fazendo coisas para que ela pudesse prosperar. Jaqueline é uma mulher elegante, inteligente e milionária que após passar por um terrível trauma não se sente mais a mesma e busca encontrar na vida algo que a emocione novamente. Carlos é um jovem tenente da polícia do Rio de Janeiro que apesar de sonhar com um futuro bom tem poucas esperanças de encontrar algo que possa o maravilhar em meio ao mundo em que vive. Com tantas diferenças aparentes, era de se esperar que eles jamais viessem a se encontrar, porém contra todas as possibilidades, o destino os uniu para lhes mostrar que todos possuíam denominadores em comum: a vontade de pôr fim à violência e ao tráfico de drogas no país.

É sempre bom ter o prazer de ler um livro onde a originalidade é item predominante e a habilidade com as palavras, uma característica revelada pelo autor desde o início. E é de posse dessas características fundamentais que Sidney Amaral faz sua estreia literária e cativa o leitor ao longo das páginas de seu romance visionário.

Abordando o tema tráfico de drogas e o cotidiano das pessoas que convivem com essa triste realidade, o autor nos conduz por uma tentativa de revolução peculiar e surpreendente. Com uma escrita ágil e realista, Sidney consegue alcançar no leitor níveis de reflexão e arrebatamento que talvez nem ele mesmo pretendesse ao escrever. Creio que isso é consequência direta de sua narrativa inteligente e da perspicácia com que ele conduz a sua história que tem o poder de passear por entre os gêneros da literatura sem se fixar em nenhum e que se apoia na casualidade das entrelinhas e no poder de dedução do seu leitor. 

Com personagens bem construídos, é fácil o leitor se identificar com a história de cada um e se apegar profundamente a eles. Eu, por exemplo, apesar de adorar o Ari com toda sua intelectualidade e sabedoria, eu me apaixonei perdidamente pelo tenente Carlos. Seu modo de ver a vida e as coisas que o cercam foram pontos fortes para o crescimento do meu encantamento, ainda mais porque eu estava na torcida para que ele ficasse com Jaqueline, que é uma mulher extremamente, eu repito, extremamente inteligente, mas cujos traumas deixados pela violência a impedem de viver plenamente. Todavia tenho que dizer que se eles são bons separadamente, eles tornam-se fascinantes como grupo. Principalmente porque cada um deles possuem qualidades e defeitos únicos que os tornam necessários de forma muito particular para a articulação e prática de um engenhoso, elaborado e muito perigoso plano de libertar o país do tráfico de drogas. 



Eu poderia discorrer muito mais sobre o livro, mas vou repetir aqui o texto que escrevi sobre o livro para a editora quando realizei a primeira leitura: "Favela Paris é um daqueles livros arrebatadores que o leitor lê e nunca mais esquece. De posse de uma linguagem ácida e inteligente o autor apresenta para nós a vida causticante das favelas brasileiras onde sonho e realidade se confundem brilhantemente ao decorrer das linhas. Contando a história sob o ponto de vista de três diferentes personalidades, S. Amaral nos mostra todas as nuances que colorem as páginas policiais dos jornais todos os dias e nos ensina que é preciso caminhar o caminho".

Ele não conseguia esquecer as palavras do tal Ari construtor, no momento em que ele quase foi alvejado com um tiro na testa. Havia até sonhado com as imagens produzidas pelo discurso do anônimo. Visualizou um Rio de Janeiro diferente e seguro; caminhou em pensamentos sobre pedras portuguesas, pelas ruas de uma favela imaginária; olhou para as casas e elas eram diferentes, coloridas, reformadas; viu pessoas sentadas à porta no fim da tarde, com as crianças brincando, inocentes. Crianças felizes. Viajou para um mundo distante, um mundo impossível. Pág. 62

Playlist:


--- Isabelle Vitorino ---

13 comments

Amanda.. 18 de dezembro de 2012 10:33

Gostei bastante da resenha.. não li o livro, mas me pareceu muito bom, o jeito como você diz que o autor aborda o tema, nunca li livro que falasse de tal assunto, ou talvez já li não me lembro muito bem.. mas ele propor uma solução.. estou curiosa para saber como é isso..

Adorei a Playlist..

Lais Ribeiro 18 de dezembro de 2012 13:47

Não conhecia esse livro, achei o enredo interessante. Sua resenha ficou boa, me deixou curiosa pra saber mais sobre como o tráfico seria combatido "nessa favela". No trecho: "Sidney consegue alcançar no leitor níveis de reflexão e arrebatamento que talvez nem ele mesmo pretendesse ao escrever", fiquei um tanto em dúvida já que o autor que escreve sobre um assunto desse na verdade espera que o leitor reflita ao máximo, provavelmente lendo o livro eu entenda sua colocação.

Isabelle Vitorino 18 de dezembro de 2012 20:02

Olá Lais, tudo bem?

Assim como em outro momento da resenha, no trecho em questão, quis dizer que há uma mensagem principal na história, como também, nas entrelinhas. Talvez o livro todo tenha sido construído com um bom jogo de palavras do autor, talvez ele não tivesse nem consciência de estar fazendo isso, mas o fato é que em Favela Paris o autor fez um grande trabalho, pois mesmo com as ideias mais loucas ele desperta no leitor momentos de reflexão em que você se pergunta: "Será que isso daria certo na vida real?".

Em suma, ele deixa claro que não é um daqueles livros com uma história pronta para ser consumida (literalmente), mas sim um daqueles em que o leitor participa indiretamente na construção dele e contribui com seus pensamentos e ideais mesmo que seja de forma inconsciente.

Espero que tenha conseguido explicar o meu ponto para você. (:

Beijos,
Isabelle.

Thaynara ribeiro 19 de dezembro de 2012 08:17

Amei a resenha e fiquei bem curiosa pra ler o livro, faz tempo q não leio um livro q me faça realmente pensar quando a leitura acaba. Quero muito!!!

kimberlly gomes 19 de dezembro de 2012 21:24

achei interessante um autor falar sobre esse tema, até porque é como se tivesse um objetivo, a cada leitor que lê as palavras dele, fosse mudar um pouco a concepção de um mundo melhor, talvez seja até um estimulante!

Mayse Silva 26 de dezembro de 2012 16:41

Muito bom o livro, participando do sortei e torcendo pra ganhar.

Paula Camargo 29 de dezembro de 2012 17:48

Nunca tinha ouvido falar sobre esse livro,mas achei que a resenha me deixou com um quero mais,não acho que seja o melhor livro,mas seria um bom livro para passar o tempo (:

Luciana Cardoso 31 de dezembro de 2012 00:06

Achei esse livro d+, uma ideia maravilhosa e inovadora.
O autor soube abordar o assunto com uma sutileza sem igual, adorei, espero em breve ter a oportunidade de lê-lo.
Meus parabéns ao autor livro maravilhoso.

Stefania 31 de dezembro de 2012 21:21

O livro me interessou por falar de um tema como este, e apresentar uma solução pra isso; um tipo de abordagem que eu, com certeza, teria prazer em ler.

Carol Figuerêdo 10 de janeiro de 2013 10:08

Gostei do livro, o tema é diferente e interessante e, através da resenha, vi que o autor soube sustentar isso com boa escrita para realmente entreter o leitor. Me parece ser muito bom, fiquei curiosíssima pra ler. Espero ganhar a promoção! haha

DAYANA ARAÚJO 14 de janeiro de 2013 17:46

ótima resenha parabéns!O livro é super interessante *_*

http://diariodeumasonhadora2.blogspot.com.br/

Varney Medeiros 14 de janeiro de 2013 19:49

Livro bem interessante, nos mostrando outra vista das favelas. Com personagens cativantes e com uma história que te prende ao livro ficando com aquela sensação de saber o que acontece depois. Parabéns pela resenha!!!

Niii 16 de janeiro de 2013 14:43

Eu tenho vontade de ler... Parece bom. Os personagens parecem ser ótimos e a capa nos faz imaginar a história.

Postar um comentário

Obrigada pela visita, dê sua opinião, participe e volte sempre.

- Caso tenha uma pergunta deixe seu e-mail abaixo que respondo assim que o comentário for lido.

- Caso sua mensagem não tenha relação com o post, envie para o e-mail.