Resenha: Leo e as Caixas de Música por Ricardo Prado


Não é a novidade nenhuma para vocês, leitores do Blog Mundo dos Livros, que eu sou incondicionalmente apaixonada por rock’n and roll. Minhas playlists são compostas em grande maioria por bandas que fizeram história e que revolucionaram sua época relatando a realidade que estavam vivendo, ou até mesmo, as suas próprias opiniões sobre a sociedade na qual viviam de forma muito singular. E para minha surpresa, eu encontrei um livro que além de falar sobre as minhas bandas prediletas, foge dos termos biografia e almanaque, e traz em suas páginas um retrato do cotidiano de um garoto rebelde e de uma avó extremamente apaixonada pelo som mais contagiante de todos os tempos: o rock!

Título: Leo e as Caixas de Música
Autor: Ricardo Prado
Editora: Casa da Palavra
Páginas: 168
Ano: 2010
Misto de Harry Potter com O Mundo de Sofia, a série de livros Trilhas: uma viagem musical, promete ser o novo hit do público pré-adolescente. No primeiro livro da série, os leitores são apresentados ao Leo, um típico adolescente que se vê “abandonado” pelos pais, que vão morar no exterior e o deixam no Brasil com a avó. Numa típica crise de revolta contra a tirania do pai e a passividade da mãe, Leo acaba salvo do tédio e da solidão pela música, que passa a compartilhar com os amigos e a avó, uma surpreendente roqueira.

Leo é um garoto de 14 anos que em uma manhã qualquer acorda e percebe que os pais foram embora e o deixaram sob a responsabilidade da sua avó sem despedirem-se ou dizerem qualquer palavra que mostrasse que eles realmente se importavam com ele. Tomado por uma fúria ele passa a traçar planos para vingar-se do seu pai, por achar que este não o amava e que tudo o que fazia era para reafirmar isto. Contudo, após decidir ajudar um amigo que começava a descobrir os sintomas de um primeiro amor, ele é presenteado por sua avó com uma coleção inimaginável de discos que fazem parte da história do som que ele amava: o rock. E é ao som de músicas que embalaram gerações e através da leitura de artigos e críticas produzidas pelo seu pai que Leo vai descobrindo que suas conjecturas a respeito do seu pai podem estar completamente erradas.

Quando decido ler um livro, eu sempre analiso o meu estado de espírito, por duas vezes nessa semana abandonei um livro para ler outros que me pareciam mais atraentes, mas ao pegar Leo e as Caixas da Música da minha estante e iniciar a leitura, eu me dei conta de que era exatamente aquilo que eu estava precisando ler. Sei que muita gente não gosta de livros considerados infanto-juvenis, mas eu não tenho problemas com isso, afinal, em tempos de Dia das Crianças há de se confessar de que – parafraseando os Titãs – em cada um de nós, algo de uma criança e é por isso, que eu sempre me sinto à vontade em ler as aventuras e as peripécias de pré-adolescentes, até porque... relembrar é viver (não liguem, hoje eu estou nostálgica e estou lembrando até mesmo dos bordões que marcaram minha infância).

Uma das coisas que mais me chamaram atenção foi o fato do autor conseguir entrelaçar o momento que Leo estava vivendo com canções que pareciam retratar exatamente aquilo que ele estava sentindo, por diversas me peguei rindo com os pensamentos dele e com uma música que os traduzia à perfeição como se aquilo fosse de fato a sua história sendo contada através de uma canção. Além disso, ver as informações sobre tudo que eu gosto sendo contada de uma maneira tão leve me fez ficar conectada aquelas páginas de modo voraz. Eu poderia me estender por aqui falando sobre quão surpreendente esse livro foi para mim, mas eu vou resumir em poucas palavras: Leiam, vocês não vão se arrepender!


Leo e as Caixas de Música é diferente de tudo que eu já vi em termos de literatura nacional. Com uma linguagem elaborada ao ponto de nos fazer ter a certeza de que o autor sabe do que fala (o que me leva a crer que ele é um roqueiro), o enredo nos conduz por uma história que corre paralela as descobertas de um garoto através do seu amadurecimento, e principalmente, que trata sobre o amor em todas as suas formas.

[...] Mas era eu quem estava descobrindo e compreendendo o Led Zeppelin. Eles conseguiram fundir rock pesado com a música folclórica inglesa, fazendo uma revolução, e a influência deles naquele momento pode ser comparada à dos Beatles. Eles podiam ser o que quisessem e decidissem a cada momento – violentos, suaves, de uma sutileza extrema ou da mais brutal pancadaria. Para isso não basta vontade, companheiro, tem que ter música correndo nas veias, livre e solta, dando voltas pelo corpo, por toda a imaginação e sem nenhum medo. E eles sabiam tudo – eram músicos de primeira. Pág. 110

Playlist:


P.S. Feliz Dia das Crianças!!!

--- Isabelle Vitorino ---

18 comments

Ana Paula Barreto 12 de outubro de 2012 23:28

Música é algo fenomenal mesmo. Acho que não só o personagem principal, mas todo nós já passamos por momentos em que só as músicas expressam nossas emoções.
Se eu escutar determinadas músicas, vou me lembrar exatamente do que estava fazendo há muito tempo atrás.
obs: Também amo rock!
bjs

Amanda.. 13 de outubro de 2012 00:49

Adorei, eu quero, eu quero..

Gosto de livros que envolve musica, muito boa a resenha,
o book trailer também.

Bom só lendo pra dizer mais..

Segredos em Livros 13 de outubro de 2012 11:49

Oi, eu não conhecia esse livro, mas achei a sinopse muito interessante e pela sua resenha me deu mais vontade ainda de ler. Adoro livros assim. parabéns. Bjs, Fê
http://segredosemlivros.blogspot.com.br/

Rosana Apolonio 13 de outubro de 2012 13:22

Espero que você tenha tido um ótimo Dia das Crianças, Isabelle. E eu realmente concordo com tudo o que você falou sobre essa época, adoro quando vejo as pessoas falando assim de datas que as pessoas insistem em tornar comerciais.

Com relação ao livro, essa é a primeira resenha que eu leio dele. Adorei o enrendo e já anotei o nome dele na minha listinha, é sempre bom ler um livro de um autor nacional de qualidade. Agora só um coisa que eu achei estranho, foi a sinopse... Acho tão triste quando as editoras ficam tentando encontrar livros famosos para comparar com o que está sendo lançado.

;)

Gabriela Nanes 13 de outubro de 2012 13:58

Eu já estou apaixonada por esse livro, deve ser lindo, e fala sobre o meu gênero musical preferido! Eu preciso ler esse livro o mais rápido possível! :)

Viviane de Andrade 13 de outubro de 2012 22:10

Parece ser um bom livro, a capa é bonitinha e fiquei interessada, espero ganhar a promoção.

http://devaneioselivros.blogspot.com.br

Jessica Lisboa 14 de outubro de 2012 16:00

Achei a capa bonitinha, nunca li um livro literario que envolvesse rock, sobre esse tema só li biogradia. Tenho espero que esse livro não me decepcione, ele me parece ser bom cita bastante nomes(*-*)

Jessica Lisboa 14 de outubro de 2012 16:01
Este comentário foi removido pelo autor.
Jadi Soares 14 de outubro de 2012 19:24

Esse livro deve ser muito interessante por mesclar a ficção, o enredo em si, com dados sobre.
um tempo participei de umas promos pra ganha-lo mas depois nao ganhei e me esqueci dele.
bjim

Ana Luísa 17 de outubro de 2012 16:43

Nunca tinha visto esse livro e nunca lido nenhuma resenha dele, parece ser muito bom. Vou terminar de ler os que eu mais preciso ler e depois vou procurar-lo.

Leandro Alves 18 de outubro de 2012 13:59

Muito boa a resenha, e este livro deve ser um prato cheio pra quem gosta de rock n roll, assim como eu haha, já vou marcar como desejado no skoob lol

Dryh Meira 19 de outubro de 2012 17:15

Nunca tinha lido nadinha desse livro antes, mas quando vi a promo aqui no blog, pensei " Porque não tentar?Vai que é legal" e pelo jeito eu amaria o livro..a resenha e a sinopse já disseram tudo...

Kazake 21 de outubro de 2012 12:44

Nossa, amei a sinopse do livro. Parece não ser nada clichê, pode ter algumas coisas bobas, mas achei o enredo impressionante. Muito bom, mesmo. Agora eu preciso ler este livro =)

Paula Camargo 26 de outubro de 2012 15:53

Deve ser muito bom esse livro,misturando um suspense,com musicalidade,bem diferente a estória!

Renata Sara 27 de outubro de 2012 09:34

Adorei a resenha :)

Eu também as vezes tenho que estar no "momento" certo da leitura, por exemplo, comecei 2 duas vezes e abandonei o livro Sociedade Secreta Rosa e tumulo vol. 01, ai na terceira vez li e simplesmente amei, virou uma de minhas series prediletas, vai muito mesmo do nosso momento, se é aquilo que queremos ler naquele dia ou semana... Gostei do livo, também adoro livros infanto-juvenil, e não me envergonho disso, principalmente porque faço Pedagogia e tenho que saber um pouco de cada universo da leitura, seja ele infantil, para adolescente ou adultos. Quero muito conhecer essa obra!!!

Beijus

Renata Sara

amordelivros.blogspot.com.br

Erica Lima 29 de outubro de 2012 13:23

Não conhecia esse livro ainda, é a primeira resenha que leio dele.
Nunca li um livro assim que envolvesse músicas e tal, como apaixonada por música certamente irei adorar esse livro.
O que se passa com Léo é o que eu sinto quando eu ouço uma música nova, parece que ela vem na hora certa e tem tudo a ver comigo!

Samira Chasez 30 de outubro de 2012 18:28

Oi..

Achei esse livro interessante, mas tenho que falar que detestei essa capa.. Podiam ter caprichado mais.. =/

thais 9 de novembro de 2012 00:10

o livro parece ser muito bom, principalmente pelo fato de que adoro livros com trilha sonora, é legal saber que o autor colocou musicas condizentes com o pensamento do personagem principal.

Postar um comentário

Obrigada pela visita, dê sua opinião, participe e volte sempre.

- Caso tenha uma pergunta deixe seu e-mail abaixo que respondo assim que o comentário for lido.

- Caso sua mensagem não tenha relação com o post, envie para o e-mail.