Resenha: Entrevista Com o Vampiro por Anne Rice

Hoje é minha estreia como colunista aqui no blog e só preciso dizer uma coisa sobre mim: Com mais de cinquenta livros em casa e tendo lido outros tantos da biblioteca, é muito difícil uma história me chamar muito a atenção.



Título: Entrevista com o Vampiro
Série: As Crônicas Vampirescas #1
EditoraRocco
Ano: 1976
Páginas: 309
Uma história que começa com a ousadia de um jovem repórter ao entrevistar Louis de Pointe du Lac, nascido em 1766 e transformado em vampiro pelo próprio Lestat, figura apaixonante que terminará, ao longo da série, arrebatando multidões como cantor de rock. Louis, esse vampiro que se recusa a livrar-se das características humanas e aceitar a crueldade e a frieza que marcam os vampiros, continua a contar a história desde o início. É um mundo de uma fantasia impressionante, um mundo gótico, romântico, esse criado por Anne Rice e traduzido por Clarice Lispector. O texto da autora americana não poderia ter melhor intérprete, talvez mesmo cúmplice.

Louis, é um vampiro franco-americano e está concedendo uma entrevista a um repórter na qual ele conta toda a sua longa existência. Ele viu a Revolução Francesa e – enquanto ainda era vivo – possuía escravos em seu latifúndio, já que era um homem muito rico. Apaixonado por sua família, ao perder seu irmão que era muito religioso, Louis passa a não só se culpar, como também, a procurar a morte.

O que ele não esperava era que a própria morte encarnada na forma do vampiro Lestat  o encontrasse e que ele acabasse sendo transformado em uma criatura da noite. Lestat, ensina-o algumas coisas importantes para a sua sobrevivência, como, por exemplo, a necessidade de dormir em caixões e de se alimentar de sangue. Contudo, o principal objetivo deste vampiro é usar a casa e o dinheiro de Louis para cuidar do seu pai doente. 

Pode parecer um pouco sádico e cruel, mas Lestat se importa verdadeiramente com o seu pai e quando o homem morre, muita coisa muda. Inclusive uma menina de cinco anos de idade é transformada e acaba se tornando a filha dos dois. O principal problema dessa transformação consiste na realidade que Cláudia cresce em todos os sentidos, menos no físico. Ou seja, ela vira uma mulher que está presa no corpo de criança e que por isso começa a sentir raiva de sua condição de imortal.

Assim como a maioria das pessoas eu vi o filme antes de ler o livro. Claro que anteriormente eu já tinha ouvido falar muito sobre Anne Rice, mas vamos combinar, nos últimos anos os livros andam tão saturados de vampiros que mesmo quando o livro em questão é um clássico do terror, você fica imaginando se aquele é o momento ideal de lê-lo, já que até Meg Cabot se rendeu as graças deles e acabou utilizando-os em suas mais recentes publicações. Acredito que foi por isso que eu decidi esperar um pouco mais antes de ler Entrevista com o Vampiro.

Contudo, depois de ter contato com a genialidade da história através do filme, não sei se minha decisão foi a mais acertada, já que eu adorei o que encontrei na trama. Por sorte, no dia seguinte fui fazer uma visita a minha avó e aproveitei para ir à biblioteca. Vocês não imaginam qual foi a minha surpresa ao meu deparar com um livro todo lilás e antigo, que estampava em letras inconfundíveis o título: Entrevista com o Vampiro. Podem ter certeza, eu não precisava de mais um incentivo, mas só bastou eu ver que ele havia sido traduzido por Clarice Lispector para que eu segurasse ele e não soltasse até ter lido a última página dessa incrível história.

Porque sim, pessoal, essa história tem tanta densidade, tanto drama, tanta ação, tantos personagens fantásticos que foi difícil eu pensar  em outra palavra que não "brilhante" para descrevê-lo. Anne Rice é uma escritora fabulosa, sua escrita além de ser instigante faz com que você note a cada página o quão talentosa ela é, já que ele é maravilhosamente bem escrito. Dito isso, minha despedida de vocês não poderia ser outra que não: Leiam 'Entrevista Com o Vampiro, esse é livro está mais que recomendado!



--- Mari ---

5 comments

Lucas de Freitas Pereira 24 de julho de 2011 13:42

kkkkkkkkkk gostei desse livro entrevista com o vampiro kkkkkkkk

Gisele 30 de julho de 2011 01:48

Anne Rice...Diva do vampirismo!!!!
Ai sou tão suspeita pra falar de vampiros...preciso urgente organizar minha listona de livros e encaixar este em algum lugar!!!!!

bjus

Amor de Livros 3 de julho de 2012 13:03

Eu li esse livro e eu não gostei, eu li porque queria ler o segundo, q foi o que mais me chamou a atenção, mas eu achei tão cansativo o primeiro que desisti de todos... rs
Mas todo mundo fala que ele é bom, e eu do contra, claro, não gostei...

bjs
Niii
http://amordelivros.blogspot.com.br/

Samira Chasez 18 de julho de 2012 18:35

Eu amo esse filme e o Livro..
o FILME TEM UM ELENCO de peso..
E O LIVRO é um clássico...

Jadi Soares 20 de julho de 2012 03:32

Na época que assisti o filme não gostei muito, acho que estava em uma fase para outros tipos de filmes, até pq essas coisas assim de vampiros so estouraram msm pra fazer esse baita sucesso a pouco tempo. E na verdade faz tanto tempo que assisti o filme que ja nem me lembro direito. Creio que se assistir hoje, pode ser que goste mais. O livro nunca cheguei a ler, mas tenho vontade pois essa escritora e sempre mt bem elogiada.

Postar um comentário

Obrigada pela visita, dê sua opinião, participe e volte sempre.

- Caso tenha uma pergunta deixe seu e-mail abaixo que respondo assim que o comentário for lido.

- Caso sua mensagem não tenha relação com o post, envie para o e-mail.