Resenha Especial: O Grande Gatsby por F. Scott Fitzgerald

E eis que eu li "O Grande Gatsby".

Título: O Grande Gatsby
Autor: F. Scott Fitzgerald
Editora: Penguin Companhia
Ano: 2011
Páginas: 234
Onde comprar: Amazon | Livraria Cultura | Submarino

Sinopse: "Considerado um dos livros mais importantes do século XX,  O grande Gatsby  é um consagrado sucesso de público e crítica. Em quase cem anos de sua publicação, teve adaptações para cinema, teatro e ópera e arrebatou milhares de fãs, entre eles, J. D. Salinger. Nos tempos de Jay Gatsby, o jazz é a música do momento, a riqueza parece estar em toda parte, o gim é a bebida nacional (apesar da lei seca) e o sexo se torna uma obsessão americana. O protagonista deste romance é um generoso e misterioso anfitrião que abre a sua luxuosa mansão às festas mais extravagantes. O livro é narrado pelo aristocrata falido Nick Carraway, que vai para Nova York trabalhar como corretor de títulos. Passa a conviver com a prima, Daisy, por quem Gatsby é apaixonado, o marido dela, Tom Buchanan, e a golfista Jordan Baker, todos integrantes da aristocracia tradicional. Na raiz do drama, como nos outros livros de Fitzgerald, está o dinheiro. Mas o romantismo obsessivo de Gatsby com relação a Daisy se contrapõe ao materialismo do sonho americano, traduzido exclusivamente em riqueza. Aclamado pelos críticos desde a publicação, em 1925, O grande Gatsby é a obra-prima de Scott Fitzgerald, ícone da "geração perdida" e dos expatriados que foram para a Europa nos anos 1920."

Nick Carraway acabara de deixar a sua cidade de origem para ir viver na sempre efusiva Nova York e trabalhar como corretor de títulos. Estabelecendo-se em uma casa confortável localizada na região de West Egg, em Long Island, ele tem um vizinho que, apesar de ser o anfitrião mais famoso do lugar, é também alguém cercado de mistérios. Pessoalmente, tudo o que ele sabe ao seu respeito é que além de ser muito rico, o seu nome é Gatsby. No entanto, antes mesmo de ter a oportunidade de frequentar as suas glamourosas festas e conhecê-lo melhor, Nick visita a sua prima Daisy em East Egg, local onde os milionários se concentravam.

É nesse lugar que Nick se inteira de algumas das dificuldades que a sua prima enfrentava no seu casamento com Tom Buchanan, sendo a principal delas a manutenção de uma amante pelo marido. É também na mansão que ele conhece a bela Jordan Baker, por quem passa a nutrir sentimentos incertos. Todavia, a insatisfação vivida por sua prima não é a única coisa que Nick descobre sobre Daisy, já que após alguns encontros enigmáticos com Gatsby, ele acaba por mergulhar nas confidências de uma tortuosa história de amor, repleta de encontros e desencontros, onde os verdadeiros sentimentos e a firmeza de caráter se mostram de maneira nebulosa ao serem confrontados pelo tempo e pelo dinheiro.

"O Grande Gatsby" é uma obra que está presente na maioria das listas de livros essenciais a serem lidos pelos apreciadores da literatura. Publicado ainda na década de 20, o enredo traz Nick como um narrador com princípios e valores bem firmados, influenciados, em especial, pela sua origem do meio-oeste, e que transmite as suas reflexões a respeito do que está vendo de maneira precisa para o leitor. Assim, somos conduzidos por todo o esplendor da descoberta de uma cidade viva e repleta de oportunidades, com festas animadas e regadas a muito álcool e jazz, como também até o vislumbre da decadência dos afetos e a preponderância do ter em detrimento do ser.

Além desses aspectos impactantes, também temos personagens repletos de dualidade. A ausência de um vislumbre dos sentimentos destes em primeira pessoa, torna o julgamento das situações uma tarefa complexa, já que o que se sabe sobre os acontecimentos são pontos recortados e selecionados para convencer Nick. Como um bom protagonista, Gatsby possui características extremamente atraentes - e não só sob o ponto de vista físico, e que nos instiga a querer saber mais sobre a sua história e as suas motivações, ainda mais quando detalhes da sua vida antes de Long Island são revelados e, enfim, conhecemos, a verdadeira origem da sua riqueza.

Um dos pontos que mais me atraíram na narrativa foi o papel de Daisy na vida dos homens que a cercavam, bem como a sua própria concepção a respeito de si, que, no meu ponto de vista, encontra-se revelada por meio desta frase: "Fico contente que seja uma menina. E espero que ela seja uma tola. Essa é a melhor coisa que uma garota pode ser neste mundo, uma linda tolinha". Uma análise simplória desse trecho demonstra que Daisy considera a beleza e o poder de escapismo como verdadeiras armas em um universo masculino e hostil. A sua personalidade talhada para aceitar imposições de outras pessoas, também revela a sua dificuldade em se desfazer dessas amarras em prol daquilo que ela mais deseja em seu íntimo.

Muitos que leram a obra ou assistiram ao filme, possuem certas ressalvas com relação ao comportamento de Daisy, porém, como mencionei anteriormente, é difícil fazer um julgamento mais preciso com relação aos personagens, já que só sabemos aquilo que Nick sabe e vive, então concedo a ela o benefício da dúvida de ser alguém que encontra-se condicionada a agir em desacordo com os seus reais anseios. O que não que dizer que eu não tenha minhas desconfianças a respeito do seu caráter, ou pior, que aceite os seus atos como sendo dignos, pois não os são.

É incontestável que essa é uma obra que permite aos leitores diversas interpretações, principalmente, no que tange aos personagens, de modo que não poderia encerrar esse texto sem antes convidá-los a ler "O Grande Gatsby", bem como a compartilhar comigo as suas experiências de leitura, caso já o tenham lido. Como vocês puderam perceber, trouxe apenas uma breve explanação daquilo que senti pela história durante o tempo em que estive em contato com ela, mas, por óbvio, está longe de ser uma análise aprofundada a respeito das diversas implicações, simbologias e aspectos históricos desse clássico. Na dúvida e para saber mais, leiam.

E assim avançamos, barcos contra a corrente, incessantemente empurrados de volta ao passado.
--- Isabelle Vitorino ---

Postar um comentário

Obrigada pela visita, dê sua opinião, participe e volte sempre.

- Caso tenha uma pergunta deixe seu e-mail abaixo que respondo assim que o comentário for lido.

- Caso sua mensagem não tenha relação com o post, envie para o e-mail.