Resenha: Amor em Jogo por Simone Elkeles

Hi, guys! Após um longo tempo, eis que volto aqui para comentar com vocês uma das minhas leituras mais recentes. E como não poderia deixar de ser, o livro é jovem, e que pode ser leve, divertido - ou não -, e perfeito para uma feriadão como o que está por vir. 

Título: Amor em Jogo
Série: Amor em Jogo #1
Autora: Simone Elkeles
Editora: Globo Livros
Ano: 2014
Páginas: 360
Onde comprar: Amazon
Ashtyn Parker já está acostumada a ser abandonada, e aprendeu a não se deixar envolver demais em nenhum relacionamento. Quando sua irmã mais velha volta para casa, depois de dez anos, com um enteado a tiracolo, ela não quer saber de nenhum dos dois. O que Ashtyn não esperava é que o tal garoto mal-encarado e sem nenhum limite seria também... Irresistível. Depois de ser expulso do colégio interno em que estudava, Derek Fitzpatrick não teve outra escolha senão ir morar com a esposa de vinte e poucos anos de seu pai, que está viajando pela Marinha. Além de ter que aturar a madrasta, ele recebe a notícia de será obrigado a se mudar da Califórnia para sua cidade natal, Illinois. A vida não tinha mesmo como ficar pior... Ashtyn se esconde atrás de uma fantasia da vida perfeita: boa aluna, a única menina – e capitã! – do time de futebol americano da escola e namorada do quarterback promissor. Tudo parecia um conto de fadas. Ainda assim, ela se sente deslocada, e tem um plano para deixar tudo pra trás e correr em busca da bolsa de estudos em alguma faculdade bem longe de sua vida atual. Tudo o que Derek menos quer é participar de mais um drama familiar – já bastam os seus. Agora, ele se vê preso a uma casa estranha, com pessoas que não conhece e em uma cidade bem diferente do que está acostumado. O que ele não esperava era que aquela garota briguenta e fã de junk food seria capaz de mexer tanto com seus sentimentos. Ainda mais ele, tão acostumado a descartar meninas por aí. Para azar – ou sorte!? – de Ashtyn e Derek, o destino ainda guarda mais uma reviravolta na manga. Mesmo com hábitos, ideias e sonhos completamente opostos, um desejo incontrolável surge entre os dois e, juntos, eles enfrentarão o desafio de vencer os preconceitos e os tabus da cidade em que vivem, além de seus próprios medos, para se entregarem completamente a uma paixão avassaladora.

Ahstyn nunca foi o tipo de garota que baixa a cabeça diante de um não, pelo contrário, quando as coisas parecem mais difíceis, ela mostra para o mundo que é capaz. Por isso, ela tenta não se abalar quando após ser escolhida capitã do time de futebol americano da escola, o seu namorado age como um completo idiota. Na verdade, esse parece ser o menor dos seus problemas quando ela se dá conta de que a sua irmã que tinha partido há anos está de volta na cidade com um filho e um enteado, que pode fazer o seu mundo girar, ainda que ela não queira.

Dereck Fitzpatrick já teve que aguentar muita coisa depois da morte de sua mãe, inclusive, o casamento do seu pai com uma garota poucos anos mais velha que ele próprio, a expulsão do colégio e a mudança para um lugar que ele odiava. E como se ele já não tivesse muito com o que lidar, a irmã da sua madastra parece ter sido programada para infernizar a sua vida. Desaforada, encrenqueira, corajosa... e com um jeito tentador de o provocar, ele sabe que Ash é um problema. Mas será que esse não seria um problema muito bem-vindo?

Essa não é a primeira experiência que tive com os livros da Simone Elkeles, pois há alguns anos tive oportunidade de ler a série "Química Perfeita" e fiquei completamente boquiaberta com a maneira que a autora tem de conduzir uma história de romance adolescente, mas que perpassa por tantas questões difíceis que nos faz questionar se aqueles não são problemas grandes demais a serem enfrentados por pessoas tão jovens. O mesmo não se repete na série "Amor em Jogo", pois por mais que haja um plano de fundo onde os personagens são guiados para enfrentar uma jornada de perdão, redenção e vitória, isso não ocorre de maneira tão densa.

No entanto, não pensem um só minuto que isso é algo negativo, posto que a autora sabe equilibrar muito bem várias nuances em Ash e Dereck que os tornam carismáticos e deixam os leitores rendidos. Como todo bom young adult, há sim um clichê na história, já que os personagens passam muitas páginas num jogo de "amo e odeio, tudo junto e misturado", o que pode ser um pouco desgastante, confesso, mas com o desenrolar das coisas, torna o enredo bem coerente. No entanto, não foi nenhuma dessas características do livro que me convenceu a gostar definitivamente da história, e sabe porque?

O que realmente me deixou rendida foi a maneira como Elkeles trabalhou a ausência materna. Isso, porque, ambos os protagonistas perderam sua mãe de alguma forma. Todavia, enquanto Dereck teve que superar o luto, a dor da perda e o remorso por tudo o que aconteceu antes da partida de sua mãe, Ashtyn tem que lidar com as dificuldades típicas de uma garota que cresceu sem uma referência feminina, porque a sua mãe a abandonou quando era apenas uma criança. Observar esses personagens lidando com suas feridas e tentando ser melhores a cada dia foi realmente o ponto crucial para a autora me convencer.

Mas não é só isso! Ainda temos um girl power em jogo, já que indo contra todas as expectativas temos uma personagem jogadora de futebol americano que é simplesmente espetacular no que faz. Esse protagonismo de Ash em campo traz um tom muito bacana para o livro, ainda mais por levá-la a um ambiente onde o sexo masculino predomina e que ela mostra que não só tem um lugar, como também merece respeito. Muito bom ver livros voltado ao público jovem trazendo mensagens de igualdade como essa.

Em suma, o que posso dizer é que "Amor em Jogo" é um livro cheio de camadas a serem reveladas e que podem levar o leitor por toda parte. Tenho certeza que ele agradará tanto aquele que quer fazer uma leitura rápida e despretenciosa de um romances juvenil, quanto aqueles que gostam de uma certa densidade emocional, ainda que ela esteja localizada nas entrelinhas. Pelo sim, pelo não, recomendo não só a leitura desse livro da Simone Elkeles, como também, dos demais que estão sendo publicados pela Globo Livros.

[…] Só porque você pode lidar com merda sozinha não significa que você precise fazer isso. - Pág. 68

--- Isabelle Vitorino ---

Postar um comentário

Obrigada pela visita, dê sua opinião, participe e volte sempre.

- Caso tenha uma pergunta deixe seu e-mail abaixo que respondo assim que o comentário for lido.

- Caso sua mensagem não tenha relação com o post, envie para o e-mail.