Resenha: Joyland por Stephen King

E para fechar esse especial do Horror, trazemos para vocês mais um livro do Mestre King (que foi resenhado duplamente!), onde um Parques de Diversões mostrou que podia muito bem se tornar cenários de crimes!

Título: Joyland
Autor: Stephen King
Editora: Suma de Letras
Páginas: 240
Ano: 2015
Onde comprar: Saraiva | Submarino
Carolina do Norte (EUA), 1973. O universitário Devin Jones começa um trabalho temporário no parque Joyland, esperando esquecer a namorada que partiu seu coração. Mas é outra garota que acaba mudando seu mundo para sempre: a vítima de um serial killer.  Linda Grey foi morta no parque há anos, e diz a lenda que seu espírito ainda assombra o trem fantasma. Não demora para que Devin embarque em sua própria investigação, tentando juntar as pontas soltas do caso. O assassino ainda está à solta, mas o espírito de Linda precisa ser libertado - e para isso Dev conta com a ajuda de Mike, um menino com um dom especial e uma doença séria. O destino de uma criança e a realidade sombria da vida vêm à tona neste eletrizante mistério sobre amar e perder, sobre crescer e envelhecer e sobre aqueles que sequer tiveram a chance de passar por essas experiências porque a morte lhes chegou cedo demais. 

Resenha: O Vilarejo por Raphael Montes

Um vilarejo perdido. Um diário encontrado. Histórias horríveis sendo narradas e mostrando ao leitor que nada é o que parece. Sejam muito bem-vindos ao Vilarejo de Raphael Montes.

Título: O Vilarejo
Autor: Raphael Montes
Editora: Suma de Letras
Páginas: 96
Ano: 2015
Onde comprar: Saraiva | Submarino
Em 1589, o padre e demonologista Peter Binsfeld fez a ligação de cada um dos pecados capitais a um demônio, supostamente responsável por invocar o mal nas pessoas. É a partir daí que Raphael Montes cria sete histórias situadas em um vilarejo isolado, apresentando a lenta degradação dos moradores do lugar, e pouco a pouco o próprio vilarejo vai sendo dizimado, maculado pela neve e pela fome.As histórias podem ser lidas em qualquer ordem, sem prejuízo de sua compreensão, mas se relacionam de maneira complexa, de modo que ao término da leitura as narrativas convergem para uma única e surpreendente conclusão.

Resenha: O Demonologista por Andrew Pyper


Muito cuidado ao aceitar convites de estranhos.

Título: O Demonologista
Autor: Andrew Pyper
Editora: DarkSide
Páginas: 320
Ano: 2015
Onde comprar: Submarino | Saraiva
David Ullman, renomado professor da Universidade de Columbia, especializado na figura literária do Diabo – principalmente na obra-prima de John Milton, Paraíso Perdido. Para David, o Anjo Caído é apenas um ser mitológico.Ao aceitar um convite para testemunhar um suposto fenômeno sobrenatural em Veneza, David começa a ter motivos pessoais para mudar de opinião. O que seria apenas um boa desculpa para tirar férias na Itália com sua filha de 12 anos se transforma em uma jornada assustadora aos recantos mais sombrios da alma. Enquanto corre contra o tempo, David precisa decifrar pistas escondidas no clássico Paraíso Perdido, e usar tudo o que aprendeu para enfrentar O Inominável e salvar sua filha do Inferno.

Resenha: Serial Killers – Anatomia do Mal por Harold Schechter

Por que o pior monstro não está no imaginário. Ele é real, e se chama ser humano.

Título: Serial Killers – Anatomia do Mal
Autor: Harold Schechter
Editora: Darkside
Páginas: 448
Ano: 2013
Onde comprar: Saraiva | Submarino
O que faz gente aparentemente normal começar a matar e não parar mais? O que move - e o que pode deter - assassinos em série como Ed Gein, o psicopata americano que inspirou os mais célebres maníacos do cinema, como Norman Bates (Psicose), Leatherface (O Massacre da Serra Elétrica) e Hannibal Lecter (O Silêncio dos Inocentes). Como explicar a compulsão por matar e o prazer de causar dor, sem qualquer arrependimento? De onde vem tanta fúria? As respostas estão no novo lançamento da editora DarkSide Books: Serial Killers - Anatomia do Mal, dossiê definitivo sobre o universo sombrio dos psicopatas mais perversos da história. Escrito por Harold Schechter - que pesquisa o tema há mais de três décadas, o livro é referência fundamental a todos os que se interessam pelo universo da investigação e da criminologia. Em Serial Killers, Anatomia do Mal você vai descobrir como eles matam e por que eles matam. Pontuado por curiosidades macabras, dados científicos e fatos pouco conhecidos sobre a trajetória e a mente dos principais criminosos em série dos Estados Unidos, O livro de Schechter abrange desde a criação do termo serial killer no início do século 20 até o fascínio exercido por matadores seriais na cultura pop (cinema, música, literatura). Histórias reais, assassinos reais, de uma maneira que você nunca viu, estudados com profundidade, rigor científico e conhecimento psicológico. Um livro que vai atrair a atenção dos fãs das séries CSI, Dexter, Criminal Minds e do Canal Discovery Investigation e de todos aqueles que querem entender o que se passa na mente dos assassinos mais temidos e cruéis de todos os tempos. Sem dúvida, oriundos de uma sociedade que precisa repensar urgentemente como cicatrizar essas feridas abertas.

Resenha Especial: O Retrato de Dorian Gray por Oscar Wilde

Reflita: Como seria um retrato da sua alma?

Título: O Retrato de Dorian Gray
Autor: Oscar Wilde
Editora: Landmark
Páginas: 224
Ano: 2009
Onde comprar: Submarino
Dorian Gray é um belo e ingênuo rapaz retratado pelo artista Basil Hallward em uma pintura. Mais do que um mero modelo, Dorian Gray torna-se inspiração a Basil em diversas outras obras. Devido ao fato de todo seu íntimo estar exposto em sua obra prima, Basil não divulga a pintura e decide presentear Dorian Gray com o quadro. Com a convivência junto a Lorde Henry Wotton, um cínico e hedonista aristocrata muito amigo de Basil, Dorian Gray é seduzido ao mundo da beleza e dos prazeres imediatos e irresponsáveis, espírito que foi intensificado após, finalmente, conferir seu retrato pronto e apaixonar-se por si mesmo. A partir de então, o aprendiz Dorian Gray supera seu mestre e cada vez mais se entrega à superficialidade e ao egoísmo. O belo rapaz, ao contrário da natureza humana, misteriosamente preserva seus sinais físicos de juventude enquanto os demais envelhecem e sofrem com as marcas da idade.

Resenha: Sangue Mágico por Ilona Andrews

Eu adoro uma boa personagem badass, que não se rende por nada nem por ninguém. Ainda mais quando o mundo está um caos e ela não se importa em chutar alguns traseiros no caminho para salvar aqueles que ama. Se você também gosta desse perfil, apresento-lhes Kate Daniels.

Título: Sangue Mágico
Série: Kate Daniels #1
Autor (a): Ilona Andrews
Editora: Saída de Emergência
Páginas: 256
Ano: 2015
Onde comprar: Saraiva | Submarino
Se não fosse pela magia, Atlanta seria uma boa cidade para viver. No momento em que a magia domina, os carros param e as armas falham.  Quando a tecnologia assume, os feitiços de proteção já não protegem sua casa dos monstros. Aqui, os arranha-céus são derrubados pelo ataque da magia; homens-lobo e homens-hiena rondam as ruas arruinadas; e os Mestres dos Mortos, necromantes impulsionados pela fome de poder, comandam vampiros com suas mentes. Neste mundo, vive Kate Daniels. Kate gosta um um pouco demais de usar a sua espada e tem dificuldade de ficar calada. A magia em seu sangue a torna um alvo, e ela passa a maior parte da vida se escondendo no meio da multidão.  Mas quando o guardião de Kate é assassinado, ela deve optar entre não fazer nada e manter-se segura… ou perseguir o assassino sobrenatural. Esconder-se é fácil, mas a escolha certa nunca o é...

Resenha: A Dança da Morte por Stephen King

Tome muito cuidado com a sua próxima gripe. Ela pode ser fatal.

Título: A Dança da Morte
Autor: Stephen King
Editora: Suma de Letras
Páginas: 1247
Ano: 2015
Onde comprar: Saraiva | Submarino
Poucos livros merecem ser chamados de fenômeno editorial, mas A Dança da Morte sem dúvida é um deles. Aclamado pela crítica e pelo público, o romance é considerado uma das melhores obras de Stephen King. Após um erro de computador no Departamento de Defesa, um milhão de contatos casuais formam uma cadeia de morte: é assim que o mundo acaba. O que surge é um lugar árido, privado de suas instituições e esvaziado de 99% de sua população. Um lugar onde sobreviventes em pânico escolhem seus lados ou são escolhidos por eles. Onde os bons se apoiam nos ombros frágeis de Mãe Abagail, com seus 108 anos de idade, e os piores pesadelos do mal estão incorporados em um indivíduo de poderes indizíveis: Randall Flagg, o homem escuro.Valendo-se da imaginação sem limites que caracteriza sua obra, King criou uma história épica sobre o fim da civilização e a eterna batalha entre o bem e o mal. Com complexidade moral, ritmo eletrizante e incrível variedade de personagens, A Dança da Morte merece um lugar entre os clássicos da literatura popular contemporânea.

Resenha: Sete Ossos e Uma Maldição por Rosa Amanda Strausz

Você acha que é corajoso? Pois bem, prepare-se para embarcar nas histórias onde o terror faz a sua morada. 

Título: Sete Ossos e Uma Maldição
Autor (a): Rosa Amanda Strausz
Editora: Rocco
Páginas: 118
Ano: 2006
Onde comprar: Saraiva | Submarino
Este livro de Rosa Amanda Strausz traz onze contos que fazem qualquer um sentir um friozinho cortante percorrer a espinha. Mas o medo aqui não paralisa, pelo contrário, só faz crescer a vontade de chegar à página seguinte, o que exige fôlego. Um prato cheio para quem curte histórias de terror e mistério - e qual é a criança ou o jovem que não curte? - e um bom começo para os iniciantes neste tipo de literatura. Em 'Sete ossos e uma maldição', não há sangue espirrando nem miolos saltando, como informa de antemão a orelha do livro. Nada explícito ou de mau gosto. Nele, a imaginação do leitor se encarrega de formar as cenas macabras forjadas através de um texto elegante. E é exatamente esse terror sugerido, literatura fantástica da melhor qualidade, que o torna tão atraente. O primeiro conto, "Crianças à venda. Tratar aqui", pega o leitor de primeira e dá o tom do que virá a seguir. A dúvida é uma constante. Vai ficando cada vez mais difícil dizer exatamente o que é e o que não é, o real e o sobrenatural se misturam numa atmosfera fascinante. O conto que dá nome ao livro também surpreende o leitor ao explicar o que são afinal os sete ossos e a maldição do título, aliás, uma história sinistra, como diriam os jovens leitores.

Resenha: O Iluminado por Stephen King

Dica: Nunca se hospede no apartamento 217.

Título: O Iluminado
Autor (a): Stephen King
Editora: Suma de Letras
Páginas: 464
Ano: 2012
Onde comprar: Saraiva | Submarino
Jack Torrence consegue um emprego de zelador em um velho hotel, e acha que será a solução dos problemas de sua família: não vão mais passar por dificuldades, sua esposa não vai mais sofrer e seu filho, Danny, vai poder ter ar puro para se livrar de estranhas convulsões. Mas as coisas não são tão perfeitas como parecem: existem forças malignas rondando os antigos corredores. O hotel é uma chaga aberta de ressentimento e desejo de vingança, e, inevitavelmente, um embate entre o bem e o mal terá de ser travado.

Resenha Especial: Frankenstein por Mary Shelley

E quando a tecnologia avança tanto que conseguimos criar a vida a partir do nada?

Título: Frankenstein, ou O Prometeu Moderno
Autor (a): Mary Shelley
Editora: Martin Claret
Páginas: 09 a 166 (536)
Ano: 2011
Onde comprar:  Submarino
Três clássicos do terror imortalizados pelo tempo e reunidos em um único volume, Frankenstein, O médico e o monstro e Drácula destilam em suas páginas aspectos sinistros e macabros da imaginação humana. Os três livros se originaram de pesadelos de seus autores e nos remetem a paisagens sombrias, como os Alpes suíços, onde nasceu o Frankenstein, a acinzentada Londres do Dr. Jekyll - e seu outro eu misterioso - e a tenebrosa Transilvânia do Conde Drácula. Em Frankenstein, o criador perde o controle sobre sua criação, e o leitor passa por momentos de apreensão e horror psicológico. Em O médico e o monstro, o leitor acompanha perplexo, os dramas do Dr. Jekyll, diante da faceta assustadora de sua própria personalidade: o temível Mr. Hyde. A história aborda a dialética dos valores morais em sua forma mais assombrosa e vai além do bem e do mal da alma humana. Em Drácula, o autor baseou-se no fabulário húngaro do século XVIII para criar a história do Conde da Transilvânia, que se tornou o típico representante do mito do vampiro. Nesse livro, o leitor deve se preparar para penetrar num universo completamente gótico e envolvido por terror.

Resenha: Salem por Stephen King

Eu fecho meus olhos e imagino essa cena: King e sua esposa, num domingo tranquilo, conversando banalidades de casal, quando, do nada, ele solta:
- O que aconteceria se o Drácula viesse à Nova York nos dias de hoje? (No caso, anos 70)
- Seria atropelado por um táxi.
Ele concorda e ambos riem. Então ele pondera: "... Mas e se fosse numa cidade rural?"

E eis, meus caros, o início de ‘Salem!

Título: ‘Salem
Autor: Stephen King
Editora: Suma de Letras
Páginas: 464
Ano: 2013
Onde comprar: Saraiva | Submarino
Ambientado na cidadezinha de Jerusalem's Lot, na Nova Inglaterra, o romance conta a história de três forasteiros. Ben Mears, um escritor que viveu alguns anos na cidade quando criança e está disposto a acertar contas com o próprio passado; Mark Petrie, um menino obcecado por monstros e filmes de terror; e o Senhor Barlow, uma figura misteriosa que decide abrir uma loja na cidade. Após a chegada desses forasteiros, fatos inexplicáveis vêm perturbar a rotina provinciana de Jerusalem's Lot: uma criança é encontrada morta; habitantes começam a desaparecer sem deixar vestígios ou sucumbem a uma estranha doença. A morte passa a envolver a pequena cidade com seu toque maléfico e Ben e Mark são obrigados a escolher o único caminho que resta aos sobreviventes da praga: fugir. Mas isso não será tão simples, os destinos de Ben, Mark, Barlow e Jerusalem's Lot estão agora para sempre interligados. E é chegada a hora do inevitável acerto de contas. 

Que os jogos de horror do mestre comecem...


Ele era um garoto esquisito. Mas já dava indícios de talento na nobre arte de escrever. Tudo começou quando inspirado pelas histórias que lia, o desejo de escrever começou a surgir. Eram criações amadoras, mas que eram devidamente recompensadas por sua mãe. Foi ela quem deu a King a primeira recompensa por um escrito seu. E isso mudou tudo para ele. 

Resenha Especial: O Sol é Para Todos por Harper Lee

Ler "O Sol é Para Todos" foi um dos maiores desafios que tive como leitora. Isso porque além de se tratar de um clássico contemporâneo, o livro possui uma profundidade em seu enredo que torna tudo especial para o leitor. Por isso, espero que compreendam cada uma das minhas pontuações nessa resenha, bem como, que embarquem comigo nessa história profundamente verdadeira.

Título: O Sol é Para Todos
Autor (a): Harper Lee
Editora: José Olympio
Ano: 2015
Páginas: 350
Onde comprar: Saraiva | Submarino

Um livro emblemático sobre racismo e injustiça: a história de um advogado que defende um homem negro acusado de estuprar uma mulher branca nos Estados Unidos dos anos 1930 e enfrenta represálias da comunidade racista. O livro é narrado pela sensível Scout, filha do advogado. Uma história atemporal sobre tolerância, perda da inocência e conceito de justiça. O sol é para todos, com seu texto forte, melodramático, sutil, cômico (The New Yorker) se tornou um clássico para todas as idades e gerações.