Mulheres nos Quadrinhos #3 – Os Mangás e as Mulheres

Para finalizar nossa conversa sobre como as mulheres são retratadas na sétima arte, resolvi trazer para vocês um pouco de minhas experiências de como vejo as garotas nos mangás!

Não sei vocês, mas eu sempre cresci com uma ideia do pessoal oriental como aquela civilização exótica e retrógrada, com direitos humanos quase escassos e direitos feministas inexistentes. Eis minha surpresa ao começar a ler mangás e perceber que, pelo menos no entretenimento, eles estavam anos-luz a frente dos ocidentais nesse quesito!

Curta Cinema: Maze Runner – Prova de Fogo

Título Original: Maze Runner – The Scorch Trials
Título no Brasil: Maze Runner – Prova de Fogo
Direção: Wes Ball
Duração: 110 minutos (1 hora e 50 minutos)
Elenco: Dylan O'Brien, Thomas Brodie-Sangster, Kaya Scodelario, Nathalie Emmanuel.
Após escapar do labirinto, Thomas (Dylan O'Brien) e os garotos que o acompanharam em sua fuga da Clareira precisam agora lidar com uma realidade bem diferente: a superfície da Terra foi queimada pelo sol e eles precisam lidar com criaturas disformes chamadas Cranks, que desejam devorá-los vivos.

Resenha Especial: Capitães de Areia por Jorge Amado

Queridos leitores, depois de seis meses de ausência devido a vários problemas nessa vida atribulada de estudos e pouco tempo, estou aqui pra apresentar uma das melhores obras da literatura brasileira que já tive o prazer de ler. Tenho somente uma coisa a dizer: EMOCIONANTE! Vamos à resenha?

Título: Capitães de Areia
Autor: Jorge Amado
Editora: Companhia das Letras
Ano: 2008
Páginas: 296
Onde comprar: Saraiva | Submarino
Esta obra narra a história da vida urbana de meninos pobres e infratores que moram num trapiche abandonado no areal do cais de Salvador, vivendo à margem das convenções sociais. O livro vai revelando os personagens, cada um deles com suas carências e suas ambições - do líder Pedro Bala ao religioso Pirulito, do ressentido e cruel Sem-Pernas ao aprendiz de cafetão Gato, do sensato Professor ao rústico sertanejo Volta Seca.

Curta Cinema: O Agente da U.N.C.L.E.


Título Original: The Man From U.N.C.L.E.
Título no Brasil: O Agente da U.N.C.L.E.
Diretor: Guy Ritchie
Duração: 117 minutos (1 hora e 57 minutos)
Elenco: Henry Cavill, Armie Hammer, Alicia Vikander, Hugh Grant.
Na década de 1960 os até então inimigos mortais Napoleon Solo (Henry Cavill), agente da CIA, e Illya Kuriakin (Armie Hammer), espião da KGB, são obrigados a cooperarem. A grande missão da improvável dupla EUA-Rússia é combater a terrível organização T.H.R.U.S.H., que desenvolve armas nucleares.

Resenha: Número Zero por Umberto Eco

Antes de qualquer coisa, tenho que dizer que esse foi o meu début com o Umberto Eco. O autor italiano que possui obras cultuadas no universo literário, como "O Nome da Rosa", sempre foi uma incógnita para mim e depois dessa experiência que tive com o autor, tive que ansiar por mais.

Título: Número Zero
Autor: Umberto Eco
Editora: Record
Páginas: 208
Ano: 2015
Onde comprar: Saraiva | Submarino
O novo best-seller internacional de Umberto Eco. O romance que é um verdadeiro manual do mau jornalismo Um grupo de redatores, reunido ao acaso, prepara um jornal. Não se trata de um jornal informativo; seu objetivo é chantagear, difamar, prestar serviços duvidosos a seu editor. Um redator paranoico, vagando por uma Milão alucinada (ou alucinado numa Milão normal), reconstitui cinquenta anos de história sobre um cenário diabólico, que gira em torno do cadáver putrefato de um pseudo-Mussolini. Nas sombras, a Gladio, a loja maçônica P2, o assassinato do papa João Paulo I, o golpe de Estado de Junio Valerio Borghese, a CIA, os terroristas vermelhos manobrados pelos serviços secretos, vinte anos de atentados e cortinas de fumaça — um conjunto de fatos inexplicáveis que parecem inventados, até um documentário da BBC mostrar que são verídicos, ou que pelo menos estão sendo confessados por seus autores. Um perfeito manual do mau jornalismo que o leitor percorre sem saber se foi inventado ou simplesmente gravado ao vivo. Uma história que se passa em 1992, na qual se prefiguram tantos mistérios e tantas loucuras dos vinte anos seguintes. Uma aventura amarga e grotesca que se desenrola na Europa do fim da Segunda Guerra até os dias de hoje. 

Promoção: O Dia em que Sherlock Holmes Morreu por Arthur Conan Doyle


Para aliviar um pouco a  minha ausência aqui no blog, trouxe para vocês uma promoção extraordinária em parceria com a editora Tordesilhas, o título selecionado foi "O Dia em que Sherlock Holmes Morreu" de Arthur Conan Doyle. Para quem já conferiu a análise que eu fiz do livro, sabe que a edição é impecável, para um verdadeiro colecionador. Mas não é só isso, os sortudos dessa promoção serão DOIS! Então se vocês estão desejando levar esse livro para casa, corram para participar.

Resenha: O Dom por Robert Ovies

A resenha de hoje é de um livro inquietante e que faz com que o leitor pense muito antes de seguir uma linha de raciocínio. Ele trata de vida e de morte, mas principalmente, de como um desejo do nosso coração às vezes pode não gerar as consequências desejadas quando realizado.

Título: O Dom
Autor: Robert Ovies
Editora: Verus
Páginas: 336
Ano: 2015
Onde comprar: Saraiva | Submarino
Quando C. J. Walker, um garoto de nove anos, encosta no braço da amiga de sua mãe no velório e sussurra o desejo de que ela não estivesse morta, só está tentando fazer a coisa certa. Mas, no momento em que a mulher desperta, a tempestade que se segue não pode ser contida. Pessoas aterrorizadas, dentro e fora das fronteiras da cidade, exigem saber quantos de seus entes queridos podem ter sido enterrados vivos pelo mesmo agente funerário, ou por qualquer outro. Porém a prova de que C. J. Walker pode realmente despertar os mortos é filmada em segredo e então veiculada publicamente. Em uma única manhã, a mãe de C. J., Lynn, vê sua casa se tornar uma fortaleza e seu filho, um alvo. Indivíduos de luto, desesperados para que a morte abandone seus entes queridos; representantes da mídia e de organizações médicas e científicas; influentes líderes religiosos e poderosas agências governamentais, todos mexem seus pauzinhos para ganhar uma posição de vantagem e influência e obter o máximo controle sobre o dom mais poderoso de que já se teve notícia. Em meio à confusão, Lynn e seu ex-marido, Joe, lutam para encontrar uma maneira de escapar com C. J., para mantê-lo em segurança e de alguma forma tornar possível que ele tenha uma vida normal novamente. Mas para isso eles precisam agir rápido, antes que o garoto seja levado por algum dos vários interessados em seu poder. O DOM é um livro ágil e alucinante, que lida com questões sobre morte, vida, amor, ética e fé.

Mulheres nos Quadrinhos | Parte #2: Sexismo x Feminilidade x Feminismo

Continuando nossa conversa sobre mulheres e como elas são representadas em quadrinhos, hoje quero conversar sobre algo que venho me questionando: O que faz uma personagem ser ou não forte?

Há algum tempo, a vlogueira (favorita dessa pessoa que vos escreve) Verônica Valadares,em uma postagem no seu blog, redigiu um texto em que ela aborda seu incômodo com um gifset de “mulheres fortes”, em que há uma seleção de personagens femininas aclamadas pelo publico, conhecidas por suas habilidades marciais e/ou em cenas que estão destilando sex appeal enquanto portam armas ou socam alguém. Resumindo bastante o texto, ela nos traz o questionamento: É mesmo necessário que uma mulher precise agredir alguém para ser considerada forte?

Pode parecer estranho que eu, um homem, me incomode com isso, mas ao ler o texto logo quis passá-lo para meu universo de escape: Os quadrinhos.

Resenha: Red Hill por Jamie McGuire

Olá, pessoal! Tudo bem? Depois de um pequeno hiatus para curtir o feriadão e colocar em dias os estudos, voltei com a resenha de um livro que me deixou bem ressabiada. Vamos conferir os detalhes da minha opinião?

Título: Red Hill
Série: Red Hill #1
Autor (a): Jamie McGuire
Editora: Verus
Páginas: 350
Ano: 2015
Onde comprar: Saraiva | Submarino
Para Scarlet, cuidar de suas duas filhas sozinha significa que lutar pelo amanhã é uma batalha diária. Nathan tem uma mulher, mas não se lembra o que é estar apaixonado; a única coisa que faz a volta para casa valer a pena é sua filha Zoe. A maior preocupação de Miranda é saber se seu carro tem espaço suficiente para sua irmã e seus amigos irem viajar no fim de semana, escapando das provas finais da faculdade. Quando a notícia de uma epidemia mortal se espalha, essas pessoas comuns se deparam com situações extraordinárias e, de repente, seus destinos se misturam. Percebendo que não conseguiriam fugir do perigo, Scarlet, Nathan, e Miranda procuram desesperadamente por abrigo no mesmo rancho isolado, o Red Hill. Emoções estão a flor da pele quando novos e velhos relacionamentos são testados diante do terrível inimigo – um inimigo que já não se lembra mais o que é ser humano. O que acontece quando aquele por quem você morreria, se transforma naquele que pode lhe destruir? 

Resenha: O Rei Demônio por Cinda Williams Chima

E olha que voltou, após um hiatus gigante! Agradeçam aos meus queridos professores da faculdade... Após muito vagar por outros tipos de histórias, quis retornar a minha paixão original: as fantasias! Quero dividir com você hoje a agradável experiência que tive com uma autora que relutei um pouco para ler, mas que foi me conquistando aos poucos: Cinda Williams Chima!

Título: O Rei Demônio
Série: Os Sete Reinos #1
Autor (a): Cinda Williams Chima
Editora: Suma de Letras
Páginas: 384
Ano: 2014
Onde comprar: Saraiva | Submarino
Os tempos são difíceis na cidade de Fellsmarch, nas montanhas. O jovem Han Alister é capaz de quase qualquer coisa para garantir o sustento da mãe e da irmã, Mari. Ironicamente, a única coisa valiosa que ele possui não pode ser vendida: largos braceletes de prata, marcados com runas, adornam seus pulsos desde que nasceu. São claramente enfeitiçados — cresceram conforme ele crescia, e o rapaz nunca conseguiu tirá-los. Certo dia, depois de uma discussão, Han toma um amuleto de Micah Bayar, filho do Grão Mago, para evitar que o rapaz o usasse contra ele. Han logo descobre que o amuleto tem uma história maldita — ele pertenceu um dia ao Rei Demônio, o mago que quase destruiu o mundo, mil anos antes. Com um artefato mágico tão poderoso em jogo, Han sabe que os Bayar farão de tudo para recuperá-lo. Enquanto isso, Raisa ana’Marianna, princesa herdeira do Reino de Fells, enfrenta suas próprias batalhas. Ela acaba de retornar à corte depois de três anos de relativa liberdade com a família do pai no Campo Demonai. Raisa poderá se casar ao completar 16 anos, mas ela não está muito interessada em trocar sua liberdade por aulas de etiqueta e bailes esnobes. Almeja ser mais que um enfeite, aspira ser como Hanalea, a lendária rainha guerreira que matou o Rei Demônio e salvou o mundo. Mas parece que sua mãe tem outros planos para ela — planos que incluem um pretendente que renega tudo que o reino representa. Os Sete Reinos tremerão quando as vidas de Han e Raisa colidirem nesta série emocionante da autora Cinda Williams Chima.

Arthur Conan Doyle: Análise da edição de "O Dia em que Sherlock Holmes Morreu"


Alguns de vocês são leitores do blog a tempo suficiente para saber o quanto gosto das narrativas de Arhtur Conan Doyle. Principalmente, das que são voltadas para desvendar os mistérios que se interpõe no caminho do sempre sapiente Sherlock Holmes e do seu amigo e companheiro de aventuras, Dr. Watson. Ele até foi homenageado do blog no nosso último mês temático!

No entanto, se tem um tipo de história protagonizada por ele que ainda não consegui concluir todas as leituras, são os contos. E olha, eles são inúmeros... Mas se você quiser ler os principais e ainda adquirir uma edição extremamente especial, posso indicar o sensacional "O Dia em que Sherlock Holmes Morreu".

Ao todo são 17 contos que abrangem vários anos da vida do personagem e que são belamente ilustrados por João Pirolla. Por isso quando penso em uma edição que vai atender as expectativas de um leitor que também é um colecionador, não consigo pensar em outra que não a apresentada pela editora Tordesilhas. E se vocês querem saber o motivo de tanto amor por essa edição, então vem comigo!