Resenha: Paixão Sem Limites por Abbi Glines

Nos últimos meses o gênero new adult tem conquistado muitos leitores aqui no Brasil. As editoras estão investindo cada vez mais nesses livros e oferecendo mais opções para os fãs dessas histórias. “Paixão Sem Limites”, por exemplo, logo se tornou um sucesso e ganhou destaque em vários blogs. Confesso que até o lançamento do segundo livro da série eu não tinha interesse em ler o livro, mas acabei caindo na tentação e hoje estou aqui para contar o que eu achei dessa leitura.

Título: Paixão Sem Limites
Série: Sem Limites #1
Autor (a): Abbi Glines
Editora: Arqueiro
Páginas: 192
Ano: 2013
Onde comprar: Saraiva | Submarino
Blaire Wynn não teve uma adolescência normal. Ela passou os últimos três anos cuidando da mãe doente. Após a sua morte, Blaire foi obrigada a vender a casa da família no Alabama para arcar com as despesas médicas. Agora, aos 19 anos, está sozinha e sem lugar para ficar. Então não tem outra escolha senão pedir ajuda ao pai que as abandonara. Ao chegar a Rosemary, na Flórida, ela se depara com uma mansão à beira-mar e um mundo de luxo completamente diferente do seu. Para piorar, o pai viajou com a nova esposa para Paris, deixando Blaire ali sozinha com o filho dela, que não parece nada satisfeito com a chegada da irmã postiça. Rush Finlay é filho da madrasta de Blaire com um famoso astro do rock. Extremamente sexy, orgulha-se de levar várias garotas para a cama e dispensá-las no dia seguinte. Mas Rush guarda um segredo que Blaire não deve descobrir e que pode mudar para sempre as suas vidas.

Blaire está passando por uma fase difícil em sua vida. Ela acabou de perder a mãe para o câncer e foi obrigada a pedir a ajuda do seu pai após se desfazer da casa em que morava para saldar todas as dívidas geradas com o tratamento médico de sua mãe. No fundo ela sabe que não pode confiar nele, porém, ele é a sua única chance de ter algo próximo a um lar durante o tempo que ela necessitará para encontrar uma forma de se manter sozinha. O problema é que ao chegar à pequena cidade litorânea de Rosemary ela recebe a notícia de que seu pai está viajando com a esposa e que seu enteado não está nenhum pouco satisfeito com a presença inoportuna de Blaire no lugar. Tentando não se deixar abater por aquela traição, ela dá o seu melhor para convencer o Rush de que não será nenhum incômodo para ele. No entanto, as coisas se complicam quando ela se vê encantada pelo bad boy que possui o poder de estraçalhar seu coração com um segredo que o faz se distanciar dela mesmo quando ele anseia por sua presença.

Abbi Glines é uma autora que já faz parte da minha lista de leitura há algum tempo. O primeiro livro que li dela foi “The Vincent Boys” e logo nesse contato me identifiquei bastante com a sua escrita fluída. Por causa disso, sempre que podia eu lia alguma história dela com a esperança de que eu fosse continuar gostando dos seus livros, mas infelizmente não foi o que aconteceu e eu preferi dar um tempo para tentar esquecer as fórmulas pré-fabricadas dos seus enredos. Quando eu soube que a editora Arqueiro ia lançar “Sem Limites” no Brasil, eu não fiquei entusiasmada como a maioria porque além dessa trilogia nunca ter me chamado a atenção, eu sabia que acabaria me chateando com a construção e desenvolvimento da trama dela. Mas foram tantos comentários positivos que eu li sobre a história que decidi dar uma nova chance a autora mesmo estando receosa.

Para meu azar tudo o que eu não gostava nos livros dela estava presente em “Paixão Sem Limites”: garoto rico encontra garota problemática e ambos se apaixonam loucamente + pressa para apresentar a trama e levar a história até seu clímax. Por si só, esses dois pontos já me deixaram emburrada nas primeiras páginas, mas autora conseguiu agravar ainda mais a situação ao descaracterizar a característica do gênero new adult que sempre me encantou: a carga dramática. Sem muitas perspectivas do por vir, assim que eu detectei esse triste panorama da história eu decidi me desapegar das expectativas que eu tinha para o livro e optei por me deixar levar pela escrita viciante da Abbi para não ter uma experiência ainda mais frustrante do que aquela que eu já estava tendo.

Posso dizer bem sinceramente pra vocês que essa foi a melhor decisão que tomei! Pois assim que assumi uma postura menos desconfiada com relação ao livro, eu comecei a ver os pontos fortes da história e a superar os pontos negativos que estavam me chateando. O resultado foi que a leitura acabou sendo agradável, divertida e me proporcionou bons momentos de desconcentração. E quando digo isso, não pense que estou inferiorizando o livro, porque a verdade é que em termos de entretenimento a Abbi Glines soube conduzir de modo muito carismático a sua história. Por isso, mesmo que você não possa esperar nada muito profundo (já que diferente do que é comum ao gênero, a autora preferiu abordar de modo muito superficial todos os sentimentos dos personagens e focou mais na "ação"), isso não significa que o livro é ruim. Apenas que ele deve ser encarado com menos seriedade.

Como o livro é narrado pela Blaire, é através dela que temos nosso primeiro contato com os personagens da história (incluindo com o rico, bonito e galinha Rush Finlay). Confesso que com relação ao Rush, mesmo eu tendo certa predileção por protagonistas bad boys, ele não me fez suspirar um minuto sequer. Pelo contrário, seu gosto por usar palavras como, “molhada”, “apertada” e “doce”, fizeram com que eu ficasse irritada na maior parte do tempo e suspirasse de alívio toda vez que o Woods entrava em cena. Que pena que a Blaire ficou tão caidinha pelo Rush tão cedo, pois pela primeira vez na vida eu queria ver um triângulo amoroso sendo explorado melhor por uma autora. Sinceramente, acredito que se ela tivesse feito isso, ela teria aplacado um pouco do meu desgosto por ver uma possível badass ser transformada em uma personagem insegura e dependente emocionalmente como tantas outras que vemos por aí.

De verdade, espero que a autora melhore os seus personagens e a construção de sua história nos próximos livros. Quero voltar a gostar dela como escritora – apesar dela estar dificultando a minha vida –, pois mesmo que "Paixão Sem Limites" não seja extraordinário e/ou o melhor do gênero, ele cumpre bem o seu papel e me deixou com o gostinho de quero mais tão típico dos livros da autora. Por fim, deixo um conselho para quem tem interesse em começar a ler essa série: não inicie a leitura achando que vai encontrar uma história densa porque a realidade que a autora construiu para essa trama é outra. Leia puramente por diversão. Quem sabe se assim você não descobre a mesma beleza que muitos leitores encontraram nessas páginas?

– Fique longe de mim, Blaire. Você não vai querer chegar muito perto [...]. Pág. 36

Playlist:


--- Isabelle Vitorino ---

Postar um comentário

Obrigada pela visita, dê sua opinião, participe e volte sempre.

- Caso tenha uma pergunta deixe seu e-mail abaixo que respondo assim que o comentário for lido.

- Caso sua mensagem não tenha relação com o post, envie para o e-mail.