Resenha: Golfinhos e Tubarões – O Outro Mundo

Livros com temática sobrenatural me atraem muito e eu estou sempre em busca de algo novo para ler nesse gênero, por isso quando a Tais Cortez entrou em contato comigo eu não hesitei em aceitar a proposta de ler o seu primeiro livro. E vou dizer bem sinceramente para vocês: tive uma boa surpresa.

Título: Golfinhos e Tubarões – O Outro Mundo
Série: Golfinhos e Tubarões #1
Autor (a): Tais Cortez
Editora: Chiado
Páginas: 419
Ano: 2013
“– Nós não sabemos por que existem tubarões e golfinhos, se já existem peixes. Não é uma questão de entender por que existimos, mas de saber existir sendo o que somos. - Eu esperava que o discurso de introdução a "como ser mutante" fosse ser mais demorado, mas Lisa parou de falar e esperou sorrindo. Eu gostava do sorriso dela.”
“Uma grande e redonda lua cheia pairava acima de nós. O céu da cidade abrigava centenas de estrelas, pontinhos claros e cintilantes que observavam aquele momento especial. Eu sabia que novos obstáculos viriam. A ninguém era permitido ser tão feliz sem que fosse cobrado um preço por essa felicidade. Não importava, eu pagaria o que fosse para estar com Alex. As coisas são simples quando se define aquilo que se quer. E eu o queria. Com todo o meu ser, eu o queria.”
“Ele não me contava tudo e eu estava certa disso. Algumas vezes, eu continuava a perguntar, tentando derrubar a barreira invisível que sentia existir entre nós. Abarreira entre o que ele me permitia saber e o que ele escondia.


Com cinco anos de idade Victoria foi adotada por um rico casal que lhe contou as circunstâncias que a levaram até ali, contudo, esse conhecimento não tirava dela a angústia de não entender o porquê de ela não possuir nenhuma recordação dos seus pais biológicos. Deste modo, mesmo que tentasse, ela não conseguia fazer nada além de levar uma vida de aparências. Entretanto, tudo isso muda em uma fatídica noite após ela completar quinze anos, já que se antes ela poderia ser considerada uma garota normal, depois dessa data coisas estranhas começam a acontecer com o seu corpo e ela passa a realizar feitos inimagináveis apenas com o poder da sua mente. 

Sem saber o que fazer para se manter sob controle, ela recebe a visita de um estranho casal que lhe fala sobre a existência de outro mundo que sobrevive paralelo ao nosso, onde cujos habitantes possuem habilidades tão distintas quanto as dela. Só isso já era o suficiente para que ela desejasse ir com eles em busca de encontrar uma forma de controlar os seus poderes, mas a visão de um garoto de cabelos cor de carvão tira dela todos os resquícios de medo e a impulsiona a partir em busca de um destino que já havia sido traçado há muito tempo.

‘Golfinhos e Tubarões – O Outro Mundo’ é o primeiro livro de uma série e é também a obra de estreia da autora brasileira Tais Cortez. Em seu primeiro trabalho o leitor é guiado por uma trama que fala de descobertas, amor, amizade e tudo aquilo que envolve o mundo sobrenatural. Narrado sob o ponto de vista de Victoria, logo nas primeiras páginas vemos que a história vai além de mais um enredo sobre uma paixão adolescente, já que um dos principais pontos do livro é a luta diária que Vic estabelece para não só conhecer mais sobre os seus pais, como também, aprender mais sobre ela mesma. Ao contrário de muitas personagens de histórias do gênero, ela é forte e decidida, principalmente quando assunto é o Alex, um garoto que esconde muitos segredos e que não está nenhum pouco pronto a permitir que ela entre em sua vida. Contudo, são nos demais personagens que podemos notar a forma peculiar com que a autora construiu sua história.

Particularmente, eu não gostei muito do Alex, nem do modo que a Victoria ficou fascinada por ela desde que pôs os olhos no garoto, ainda mais porque me custou um pouco a acreditar que ele era real, já que a insistência em chamá-lo de “lindo”, lhe conferiu um ar quase etéreo e eu pensei seriamente que o romance se tratava de um amor platônico dado o nível de frieza que o mocinho agia na maior parte do tempo. Em contrapartida, eu gostei bastante da Vic, eu só queria que ela tivesse sido um pouco mais esperta em algumas coisas e que não fosse tão impulsiva em outras, mas acredito que foi justamente essa dualidade que me chamou atenção. Os demais personagens são uma delícia de serem acompanhados, gostei especialmente da Penny e espero que todos eles tenham bastante destaque no próximo livro da série porque acho que por trás de cada um deles há muita história para ser contada.

Além disso, uma coisa que me deixou encantada com o livro foi a forma como a autora  conduziu a história. Ela tem uma escrita viciante que mesmo que em alguns momentos eu não concordasse com aquilo que estava ali, eu continuava a ler o livro porque a curiosidade falava mais alto. As cenas em que ela descreve os poderes dos personagens, por exemplo, são tão criveis que por mais que algumas coisas fossem inimagináveis, eu conseguia visualizar todas aquelas peculiaridades como se elas pudessem ocorrer a qualquer momento na minha frente. A única coisa que me incomodou de modo mais persistente em ‘Golfinhos e Tubarões – O Outro Mundo’ foi algumas semelhanças com outras obras de sucesso do gênero que eu detectei, tenho certeza que se a autora tivesse confiado um pouco mais no potencial da sua história, eu teria tido em mãos um livro que além de muito original, teria tudo para conquistar até aqueles que estão céticos com relação aos atuais livros de fantasia.

A solidão tinha sido minha grande companheira na maior parte da minha vida, porém eu nunca tinha estado tão consciente disso quanto naquele momento. Talvez fosse porque, diferente de antes, eu sabia que não queria mais ficar sozinha. E eu sabia quem eu queria ao meu lado. Pág. 116 e 117

Playlist:

3 Doors Down – When I’m Gone

--- Isabelle Vitorino ---

5 comments

Ana Luisa 11 de setembro de 2013 11:20

Hum, interessante. Só não entendi o por que do título, tem alguma explicação no livro? Mas gostei da história, só não faz meu gênero. E que pena que o mocinho não te agradou :(


Beijos.

Mundo dos Livros 11 de setembro de 2013 15:32

Olá Ana Luisa,
A autora explica logo nas primeiras páginas o porque do título, aliás, na sinopse que eu coloquei acima há um trecho que fala sobre isso. Dá uma olhadinha depois. :)
A história é interessante e o mocinho só não me agradou tanto porque ele é muito esquivo, mas depois acabei me acostumando com ele. -rsrs-
Beijos!

aninha 11 de setembro de 2013 23:04

amo descobrir livros novos, com temas tão interessantes assim e ainda por cima, saber que é de uma autora nacional =) esse toque meio x-men que a personagem Victoria vive, vai em uma busca de auto conhecimento e pelo que li na resenha, ela não se deixa vitimizar. também percebi que Alex, é meio que 'intocável', acho que essa frieza pode ter sido um equilíbrio entre o casal que a autora quis passar. já gostei do livro só de imaginar as partes que você disse, da ação, dos poderes, deve ser muito interessante! eu gostei da capa, dá um impacto esse olho colorido, mas admito que o título do mesmo eu meio que estranhei. rsrs mas a sinopse dá uma explicada básica e amei esse quote " Não é uma questão de entender por que existimos, mas de
saber existir sendo o que somos." corre pro skoob pra marcar como desejado!! adorei! =D

Tais Cortez 12 de setembro de 2013 08:39

Oi aninha! obrigada! fico feliz que tenha gostado! Realmente tem esse toque X-men...ambiente escolar de Harry Potter com aulas diferentes como da mente, da força, de premonições, do combate e dos sentidos! O livro pode ser encontrado na Cultura! E se quiser ver depoimentos de outros leitores: https://www.facebook.com/GolfinhoseTubaroesOOutroMundo


bjss :)

Tais Cortez 12 de setembro de 2013 08:41

Ah...e o título pode ser explicado assim: Golfinhos são os seres que têm habilidades e usam para o bem....e os Tubarões são os que têm habilidades e usam para o mal...rss

Postar um comentário

Obrigada pela visita, dê sua opinião, participe e volte sempre.

- Caso tenha uma pergunta deixe seu e-mail abaixo que respondo assim que o comentário for lido.

- Caso sua mensagem não tenha relação com o post, envie para o e-mail.