Séries de TV: Saco de Ossos

Cale-se, saco de ossos!

Título: Saco de Ossos
Título Original: Bag of Bones
Ano: 2011
Diretor: Mick Garris
Elenco: Pierce Brosnan, Annabeth Gish, Melissa George, Anika Noni Rose, Caitlin Carmichael, William Schallert, Matt Frewer.
Episódios: 2
Temporadas: 1
Gênero: Horror, Drama, Mistério.
"Bag of Bones" conta a história de Mike Noonan (Pierce Brosnan), um escritor que sofre há quatro anos a perda repentina de sua esposa, Jo (Anabeth Gish). Guiado por sonhos, ele retorna à casa que eles mantinham no Maine onde ele conhece a jovem Kyra e sua mãe Mattie (Melissa George), uma viúva que luta contra o sogro (William Schallert) para manter a guarda de sua única filha. Em paralelo a esta situação, Mike precisa lidar com as constantes visitas de fantasmas que assombram sua casa, entre eles, o de sua esposa, que tenta lhe passar uma última mensagem. Minissérie em duas partes com base na obra de Stephen King.

Michael Noonan é um autor bestseller do New York Times que vê sua vida mudar completamente quando a sua esposa morre em um trágico acidente. Sofrendo pela perda e com seu agente cobrando um novo livro, ele decide ir para a casa do lago que herdou de seu avô e onde sua esposa passou muito tempo antes de sua morte. Tentando conectar-se com Jo de todas as maneiras para tentar suplantar as saudades que sentia e expulsar para longe o bloqueio criativo que está sofrendo, ele acaba sendo surpreendido por manifestações sobrenaturais que ele toma como sendo respostas de sua esposa. O que ele não esperava era que outra entidade estivesse agindo e impedindo que Jo entrasse em contato com ele e o ajudasse a entender tudo o que estava acontecendo na casa e em seus sonhos. Ao mesmo tempo, Mike conhece Kyra e sua mãe Mattie, as duas estão em uma situação complicada, já que o avô da garotinha está tentando de todas as formas obter a guarda da menina apesar de ficar claro que ele não a ama. Imerso em seus próprios problemas e tentando ajudar mãe e filha, aos poucos ele vai encaixando as peças do quebra-cabeça da sua vida atual e vai entendendo que nem tudo é mera coincidência.

Me propus a assistir a minissérie ‘Saco de Ossos’ porque eu tinha uma grande curiosidade de conhecer a história que se escondia por trás da imagem da menina se afogando que está presente tanto na capa do livro quanto no banner da série. A princípio eu não sabia muita coisa da história porque eu realmente não li a sinopse dela, mas após ler uma resenha do livro eu fiquei interessada em saber o que acontecia de tão estranho na casa do lago da família Noonan. Como de costume, Stephen King nos brindou com uma história que no início pode parecer apenas um retrato do cotidiano de uma pessoa, mas que aos poucos vai se revelando uma trama cheia de detalhes e que requer do espectador atenção para desvendar os mistérios que surgem ao longo dos dois episódios junto com o Mike. Contudo, se você espera um enredo agitado e muito assustador, sinto ter que lhe dizer, mas esta série não é pra você. Pois ao contrário, de outras histórias do King, nesta, ele apresenta os fatos aos poucos e querendo ou não, deixa pairando no ar aquela dúvida de que as coisas podem tanto ser apenas uma produção de uma mente perturbada, como também, algo maior e sobrenatural.

Para quem não gosta de histórias mais subjetivas, provavelmente não irá gostar tanto da série, pois apesar de termos várias pequenas coisas acontecendo ao mesmo tempo, a resolução dos fatos não se dá de maneira rápida e o autor leva o seu tempo para expor suas ideias. Em contrapartida, quem já leu algum livro do King ou assistiu alguma série ou filme baseada em suas obras, sabe que seus personagens são controversos e bem construídos. Por vezes ele nos dá a falsa impressão de que revelou tudo sobre o personagem em questão, mas logo mais, ele expõe uma faceta distinta que nos surpreende. Em ‘Saco de Ossos’ especificamente, eu fiquei intrigada com a construção do Max Devore, pois além de não entender porque ele era um ser humano tão ruim, eu não entendia como ele podia despertar tanto ódio apenas com uma frase dita. Mas a verdade é que o velho era praticamente o mal encarnado e eu gostei da forma como o Mike o encarou e não deixou que ele o subjugasse.

A respeito do Michael Noonan, é engraçado dizer isso, mas eu realmente pensei se o Stephen King colocou algum traço de sua personalidade nele, principalmente quando ele disse que achava chato aquele tipo de pergunta que vem com: “O que te inspira?”. Todavia, tenho que confessar que ele não me convenceu muito. Achei estranha a maneira como ele reagiu quando os fenômenos sobrenaturais começaram a ocorrer, porque me digam, quem não arrumaria as malas e voltaria para casa se estivesse dormindo e um tocador de discos começasse a reproduzir música sozinho? Eu pelo menos, iria embora no mesmo instante. Esse pequeno “deslize”, não sei se de construção ou de representação, tirou um pouco da veracidade da história e isso me deixou um pouco incomodada.

Ademais, o modo como as coisas foram solucionadas me deixou bastante emocionada – apesar de eu não entender porque o King tem tanto prazer em matar os seus personagens. Além disso, outro ponto importante que vale à pena citar é a fotografia, pois apesar da história se passar em uma cidade pequena, a natureza do local não só fornece mais beleza as imagens, como também, adiciona o clima perfeito para o espectador tomar uns bons sustos. Por outro lado, tenho que ser sincera e dizer que o enredo teria se ajustado melhor se tivesse sido feito para um filme, já que como minissérie alguns detalhes ficaram sobrando e se tornaram repetitivos. Em suma, o que posso dizer é que ‘Saco de Ossos’ é um bom entretenimento. Não é o melhor do gênero, mas atende as expectativas de quem está procurando uma diversão para curto prazo.



Playlist:


--- Isabelle Vitorino ---

3 comments

aninha 15 de agosto de 2013 22:06

as obras de Stephen King sempre são um caso a parte, e adaptadas são mais "esquisitas" ainda. eu não sou uma fã declarada dele, mas achei interessante a sinopse. e por ter 2 capítulos, acho que vejo rapidinho=)

IsabelleVitorino 20 de agosto de 2013 12:52

A história é bem interessante e conseguiu me prender. Eu só esperava que tivesse um pouco mais de terror e que o personagem se sentisse mais apavorado com toda a situação. rs
Realmente, os episódios passam super rápido. :)
Beijos!

Rosana Apolonio 5 de setembro de 2013 15:09

É difícil encontrar uma adaptação dos livros do Stephen King que faça jus a obra original, por isso sempre as evito. A única que eu realmente gostei foi "The Dead Zone" (O Vidente), já que a série ficou muito boa e acabou se tornando uma das minhas prediletas. Mas fiquei curiosa a respeito dessa, porque sempre tive vontade de saber como eram os autores que o King descrevia em suas historias e como eu nunca li um livro dele com um personagem assim, darei uma oportunidade a essa minissérie. ;)

Postar um comentário

Obrigada pela visita, dê sua opinião, participe e volte sempre.

- Caso tenha uma pergunta deixe seu e-mail abaixo que respondo assim que o comentário for lido.

- Caso sua mensagem não tenha relação com o post, envie para o e-mail.