Resenha: Até Você Chegar por Judith McNaught


Quem acompanha o blog sabe que eu sou apaixonada pelas histórias criadas por Judith McNaught, infelizmente são poucos os livros publicados aqui no Brasil. Contudo, me sinto extremamente feliz por entre eles está Até Você Chegar, um livro encantador que eu vou apresentar hoje para vocês.

Título: Até Você Chegar
Série: Dinastia Westmoreland #3
Autor (a): Judith McNaught
Editora: Best Seller 
Páginas: 527
Ano: 2008
Professora de uma escola para damas da alta sociedade, Sheridan Bromleigh é contratada para acompanhar uma das estudantes, Charise Lancaster, até a Inglaterra, onde encontrará seu noivo. Quando a jovem sob sua responsabilidade foge com um estranho, Sheridan questiona-se como explicará isso ao pretendente, Lorde Burleton. Stephen Westmoreland, o Conde de Langford, presume que a jovem vindo em sua direção é Charise Lancaster, e a informa sobre sua participação no acidente fatal envolvendo Lorde Burleton na noite anterior. No momento em que iria explicar o mal-entendido, Sheridan também sofre um acidente e fica inconsciente. Ela acorda na mansão de Westmoreland, sem lembrar quem é. A única pista sobre seu passado é o estranho fato de todos a chamarem de miss Lancaster. Tudo o que ela realmente sabe é que está apaixonada por um belo conde inglês, e que sua vida está repleta de maravilhosas possibilidades...

Diferente das demais damas de sua época, Sheridan teve uma infância excepcional que apesar de toda a boa educação que teve posteriormente, não apagou a garota audaz que ela fora um dia. Contudo, esse traço de sua personalidade deveria permanecer escondido porque ela era uma professora para damas da alta sociedade e como tal, deveria portar-se com impecável polidez e descrição, mesmo que sua vontade fosse sair um pouco da linha da elegância para colocar Charise, no seu devido lugar. O que ela não esperava era que sua protegida fosse uma jovem indomável e que fugiria com o primeiro estranho que conhecesse enquanto ambas estivessem a caminho da Inglaterra para que ela pudesse encontrar o seu noivo. 

Sem saber como contar ao Lorde Burleton o que acontecera, ela vai ao encontro do homem que acredita ser o noivo da jovem, porém quando a conversa é iniciada, Sheridan sofre um terrível acidente e cai inconsciente nos braços de Stephen Westmoreland, o homem que teve participação no acidente fatal que ocorrera com o Lorde. Acreditando que a dama caída em seus braços é Charise, o Conde de Langford, corroído pela culpa a leva para a mansão de Westmoreland, onde ela gradativamente se recupera. Sem jamais abandoná-la, ele faz de tudo para que ela fique bem e toma para si a responsabilidade de cuidar da jovem, principalmente porque após a bela acordar, todos são informados de que ela não se recorda de absolutamente nada, nem mesmo de quem ela é. A única coisa evidente na cabeça da jovem é que ela está irreversivelmente apaixonada pelo homem que cuidará dela e que sua vida nunca parecera tão certa.

Como vocês podem imaginar, é a partir desse ponto que a história ganha densidade, visto que a perda de memória de Sheridan leva todos a acreditar que na verdade ela é Charise.  O que acaba sendo um motivo muito conveniente pra que ela permaneça na propriedade do Conde, já que sem saber a que lugar pertence e contando com o apego da família do seu salvador, tudo a leva a se aproximar de Stephen, que apesar de não assumir, acaba se apaixonando pela jovem que se tornou símbolo da sociedade local e que arranca suspiros por onde passa. Contudo, como uma boa história de Judith, o casal vai ter que enfrentar muita coisa antes de viver seu “felizes para sempre”, incluindo uma figura do passado que volta para assombrar as suas vidas.

Sendo sincera como sou em todas as minhas resenhas, tenho que dizer que apesar dessa história não ser a minha predileta (como já falei anteriormente, o meu livro favorito da autora é “Agora e Sempre”), “Até Você Chegar” é um dos livros históricos da Judith mais emocionantes que eu já li. Ao contrário de alguns mocinhos, Stephen não é chato, e apesar de ter uma personalidade fortíssima, ele sabe ser doce e carinhoso com Sheridan de uma forma que cativa o leitor profundamente. Entretanto, confesso que quando li esse livro pela primeira vez, me incomodou um pouco o fato dele não ter dito um belo “Eu te amo” para Sherry, mas depois que o reli, vi que mesmo que ele não tenha verbalizado o seu sentimento, ele demonstrava suas verdadeiras emoções em todas as suas ações e isso aplacou um pouco meu sentimento de revolta para com ele. Ainda mais porque só de vê-lo sofrendo por temer perdê-la me fez sentir-me muito melhor, depois de ter visto todas as consequências estarrecedoras que ela teve que enfrentar por coisas que ela não tinha o mínimo de culpa.

E para minha resenha não ficar maior do que já está, encerro recomendando fortemente a leitura não apenas deste título, como também, dos demais livros da autora. Tenho certeza que quem gosta de um bom romance, recheado de reviravoltas, vai se apaixonar pelas maravilhosas histórias criadas por Judith McNaught e vai sempre querer mais, assim como eu, que não fico  muito tempo sem reler os títulos que tenho.


Sheridan mordeu nervosamente os lábios, com medo de acreditar no que ouvia, com medo de confiar nele, mas incapaz de se impedir de fazê-lo porque o amava.
– Olhe para mim – pediu Stephen, erguendo-lhe de novo o queixo, e dessa vez os lindos olhos cinzentos encontraram os dele. – Eu tenho vários motivos para pedir-lhe que entre comigo na capela. Onde um padre está à nossa espera, mas juro que a culpa não é uma deles. Pág. 497

Playlist:


--- Isabelle Vitorino ---

5 comments

Lih_maria 25 de março de 2013 01:15

Eu adoro romances de epoca *-*
tambem gosto dos livros da Judith mas ando atrasada na leitura com ela =//
Mas gostei muito da sua resenha então este vai ser o proximo *-*
Bjoos
http://chacombolacha.blogspot.com.br

Brubs. 25 de março de 2013 17:40

Não conhecia o livro, e gosto muito de romances de época :)
Gostei da sua resenha, super sincera, continue assim. Vou pesquisar mais a série e quem sabe eu venha ler ^^
Beijos
brubs
contodeumlivro.blogspot.com.br

ana lucia 25 de março de 2013 19:22

nunca li um livro da Judith McNaught *shame on me* mas achei interessante esse.eu gosto de romances,e esses de época sem muita violência,sem coisas chocantes, é muito gostoso de ler.Sheridan ,apesar de viver em uma época que as mulheres não tinham lá muitos direitos,me pareceu ser uma personagem forte,apesar do acidente que acontece com ela.vou procurar assim que possível =)

Rosana Apolonio 27 de março de 2013 09:11

Como já comentei nas suas resenhas anteriores: Amo a escrita de Judith McNaught!Ela é uma autora esplendorosa e consegue surpreender os seus leitores independente se são em seus livros de época ou contemporâneos. Por falar, em contemporâneos eu mal posso conter minha felicidade por saber que a editora vai relançar "Tudo Por Amor", um dos melhores livros da autora, só que dessa vez eles vão imprimir com o título de "Plano Perfeito". Mais próximo do título original impossível, né? ;)

Isabelle Vitorino 29 de março de 2013 09:25

Olá Ana,

Você TEM que ler algo da Judith McNaught, ela é simplesmente maravilhosa! É daquelas autoras que escrevem livros gigantes e que você lê sem se dá conta que a história, por vezes, tinha mais de 800 páginas, como é o caso de Em Busca do Paraíso (esse livro pertence a uma série de história contemporâneas, cuja conexão é apenas referente a alguns personagens, onde o livro Tudo Por Amor, é o meu predileto *-*). Juro, indicaria qualquer livro dela de olhos fechados. Contudo, no caso de você estar em dúvida, dá uma olhada nas outras resenhas que fiz sobre alguns livros, tenho certeza que você gostará deles também.

Beijos,
Isa.

Postar um comentário

Obrigada pela visita, dê sua opinião, participe e volte sempre.

- Caso tenha uma pergunta deixe seu e-mail abaixo que respondo assim que o comentário for lido.

- Caso sua mensagem não tenha relação com o post, envie para o e-mail.