É Filme: Ruby Sparks - A Namorada Perfeita




Não sei vocês, mas eu já estava com saudades de falar sobre filmes. E para retomar bem essa coluna, vou trazer pra vocês minha opinião sobre um filme muito especial. Sem mais delongas, vamos à resenha!

Título: Ruby Sparks – A Namorada Perfeita
Título original: Ruby Sparks
Lançamento: 2012 (EUA)
Direção: Jonathan Dayton e Valarie Faris
Atores: Paul Dano, Zoe Kazan, Chris Messina, Annette Bening, Antonio Banderas, Steve Coogan, Deborah Ann Woll, Elliot Gould.
Duração: 104 min.
Gênero: Comédia, Fantasia, Romance.
O romancista Calvin (Paul Dano) sofre com perturbador bloqueio criativo que atrapalha o desenvolvimento de seu último livro. Com problemas também em sua vida pessoal, começa a criar uma personagem feminina poderia se apaixonar por ele. Daí nasce Ruby Sparks (Zoe Kazan), que inicialmente é uma personagem dentro de uma história, mas que pouco depois ganha vida e passa a conviver e se relacionar com Calvin pessoalmente.

Calvin é um escritor que apesar de todo o sucesso conquistado com o lançamento do seu primeiro livro sente-se infeliz. Como se não bastasse estar com bloqueio criativo, ele tenta entender porque sua ex-namorada o abandonou logo após a morte do seu pai. E é no escritório de seu psiquiatra que ele busca encontrar essas respostas mesmo que de forma parcial. Todavia, em uma noite qualquer, ele sonha com uma garota diferente de todas as que ele conheceu. Ela era bonita, inteligente, divertida e aceitava seu cachorro do jeito que ele era. Acordando bruscamente e sentindo-se subitamente inspirado a escrever, ele não faz outra coisa a não ser contar a história daquela garota fictícia por quem ele está irremediavelmente apaixonado. Colocando muito de si naquela história, ele mal pode acreditar que de uma hora para outra, de pé na cozinha da sua casa, estava ela, Ruby Sparks, a namorada perfeita que devia existir apenas nas páginas de seu romance.

Esse filme foi uma surpresa maravilhosa, quando comecei a assisti-lo eu pensei que seriam aquelas histórias bobinhas que a gente só vê para passar o tempo, mas com o decorrer da trama, eu fui notando várias características que só contribuíram para o meu encantamento. Confesso que o Calvin me irritou um pouquinho, mas suas declarações de amor, sua escrita, eram realmente tocantes. Me peguei diversas vezes sorrindo feito tola pelo modo original com que ele falava sobre amor e seu relacionamento com Ruby. Contudo, o mesmo sentimento ambíguo eu tive com Ruby, eu gostei e não gostei dela na mesma proporção, às vezes me irritava o fato dela ser tão ingênua com as pessoas, às vezes eu sentia dó dela por estar alheia a tudo e condicionada a ser quem Calvin quisesse que ela fosse. Mas na maior parte do tempo eu só torcia para que ambos encontrassem uma maneira de ficarem juntos apesar de toda a estranheza que cercava o relacionamento deles.

Entretanto é nessa “anormalidade” que vemos a grande sacada do enredo. Porque quem já não imaginou alguém que poderia ser perfeito para si e como seria perfeito se o encontrasse? Acho que todo mundo, não é? Todos já tiveram devaneios sobre características físicas e de personalidade que transformariam aquele alguém no seu alguém perfeito, e o ponto do filme é esse, é mostrar que não existe ninguém perfeito, que ninguém deve querer mudar os outros para adequá-los aos seus padrões, que todos nós devemos aceitar as pessoas como elas são, que devemos conviver bem com as diferenças que nos tornam únicos para que assim possamos conhecer a felicidade real e não aquela idealizada que nada mais é do que uma ilusão.

O único ponto fraco que vi foi o da monotonia em certo ponto do filme. Sei que muita gente não vai gostar dele justamente por essa desacelerada que é claramente notada em meados do meio para o final do longa. Mas mesmo assim eu o recomendo, e não é só pelo fato dele ter sido dirigido pelos mesmos diretores de “Pequena Miss Sunshine”, mas sim, pela mensagem que é passada a através dessa história. Acho que é sempre bom refletirmos um pouco sobre aquilo que desejamos, não é?


5 comments

Dany 12 de fevereiro de 2013 15:35

Gostei da dica do filme, ainda não vi, nem conhecia mais vou assistir a ele.
Bjos...

Feliciity 14 de fevereiro de 2013 00:12

Não vi ainda, mas como sou apaixonada por filmes de romance, com certeza vou ver...

http://feliciity-unjourdepluie.blogspot.com.br/p/parceiros.html

Paula Camargo 15 de fevereiro de 2013 10:39

Não conhecia esse filme, o que não é de se estranhar,já que sou uma negação no quesito filme, fiquei curiosa para ver esse filme,apesar da "desacelarada" que tem no filme,acho que merece uma chance!

;*
http://llivroseletras.blogspot.com.br/

Rosana Apolonio 19 de fevereiro de 2013 14:36

Assisti Ruby Sparks e gostei muito! As citações são maravilhosas e o romance não é contado da forma costumeira. Os altos e baixos do casal são exemplos de que nem tudo é perfeito numa relação a dois. Se eu pudesse anotava todas as falas do filme, é lindo mesmo. Super indico!!! ;)

Jessica Lisboa 3 de março de 2013 08:33

Ah gostei do trailer do filme, parece ser uma boa pra assistir e matar o tempo, mas ando tão preguiçosa pra assistir filmes.

Postar um comentário

Obrigada pela visita, dê sua opinião, participe e volte sempre.

- Caso tenha uma pergunta deixe seu e-mail abaixo que respondo assim que o comentário for lido.

- Caso sua mensagem não tenha relação com o post, envie para o e-mail.