É Filme: Footloose





Faz pouco tempo que eu resenhei para vocês um filme cujo mote principal era a dança e a música. Contudo, diferente da produção comentada anteriormente, nesta, há uma ingrediente a mais: ele é remake de um filme que foi sucesso de bilheteria em sua época (1984). Ficaram curiosos para saber o que eu achei e o que vocês podem esperar deste longa? Leiam esta resenha até o final.

Título: Footloose
Título original: Footloose
Lançamento: 2011 (EUA)
Direção: Craig Brewer
Atores: Kenny Wormald, Juliana Hough, Dennis Quaid, Andie MacDowell, Miles Teller, Kim Dickens, Brett Rice.
Duração: 114 min.
Gênero: Drama, Romance, Musical, Comédia.
Releitura do adorado clássico de 1984. Ren MacCormack (Kenny Wormald) se muda de Boston para a pequena cidade sulina de Bomont, onde sente um forte choque de cultura. Alguns anos antes, a comunidade local havia sido abalada por um trágico acidente que matou cinco adolescentes depois de uma noitada, o que fez os conselheiros locais de Bomont e o prestigiado reverendo Shaw Moore (Dennis Quaid) implementarem uma regulamentação proibindo música alta e danças. Acostumado a não se submeter ao status quo, Ren desafia a proibição, revitalizando a cidade e se apaixonando pela filha do pastor, Ariel (Julianne Hough).


Ren acabou de perder sua mãe para o câncer e sem ninguém com quem contar na cidade de Boston, ele vai morar com seus tios em uma pequena cidade do interior. Ainda abalado por sua perca, ele faz o possível para viver de modo a não aborrecer as pessoas que lhe acolheram. Contudo, logo nos primeiros dias ele se dá conta que não será nada fácil viver ali, já que restrições absurdas limitam a vida de todos. Inquieto por perceber que apesar dos jovens não gostarem dessas proibições ainda assim as aceitavam, ele procura investigar o que aconteceu e acaba descobrindo que todas as restrições eram obras do reverendo Moore que após perder um filho em um acidente de carro onde mais quatro jovens morreram quando voltavam de um baile de formatura, ele propõe ao conselho da cidade proibir que todos os jovens saíssem até tarde, escutassem música alta, bem como, dançassem sem a presença de adultos, numa tentativa de garantir a segurança dos jovens para que nenhuma tragédia semelhante àquela ocorresse novamente. Entretanto, apesar de entender as razões que levaram a todos aquele extremo, Ren está determinado a mudar essa situação, e é com a ajuda de seus amigos que ele lutará bravamente para abolir todas as leis que os proibiam de viver plenamente.

Eu sempre fui apaixonada por filmes que além de retratar um quadro social ainda trabalhasse o psicológico e os dramas dos personagens de modo que eu pudesse compreender porque eles agiam de determinada forma. Contudo, ultimamente quando assisto um com tais características, eles são apenas isso: drama. Na maioria falta aquela leveza necessária para nos fazer respirar enquanto absorvermos as informações que nos abalaram. Contudo, com Footloose isso não acontece. Não sei se é por se tratar de um remake de uma produção da década de 80, ou se realmente é a essência da história, mas sei que ele me encantou profundamente por trazer para as telas um personagem rebelde ao seu modo que tinha tudo para ser o típico bad boy que não sabe fazer nada além de atrapalhar a vida alheia e se envolver com drogas, mas que ao contrário disso se mostra um garoto forte, que sabe o que quer e que além de tudo sabe superar os contratempos que a vida lhe impôs. Talvez tenha sido por esse seu jeito de bom amigo e bom rapaz (apesar de usar jaqueta e cabelo com topete) que eu não gostei tanto do seu envolvimento com Ariel mesmo que ela tenha se redimido dos seus erros e loucuras, para mim faltou trabalhar mais o envolvimento deles, já que se separados eles eram ótimos personagens, cada qual ao seu modo, juntos eles se tornaram apáticos. Em suma, eles não conseguiam brilhar juntos, ambos se ofuscavam.


Todavia, mesmo com meu descontentamento com relação a isso, o filme fluiu muito bem. Com quase duas horas de história, foi confortavelmente que eu admirei as cenas com dança e com comédia. E apesar de ser uma produção bem água com açúcar me diverti bastante e me vi desejando mais alguns minutos para ver o enredo se desenvolvendo um pouco além daquilo que foi mostrado. Posso dizer seguramente que apesar de não ser nenhuma obra prima, é um filme gostoso de assistir e que arranca boas gargalhadas com cenas hilárias protagonizadas em sua maioria por Ren e Willard (meu personagem predileto de todo o filme). Portanto, se você gosta de música, romance, drama e comédia em um mesmo filme corre para locadora mais próxima e pega Footloose, tenho certeza que você vai adorar acompanhar essa história.



Playlist:


--- Isabelle Vitorino ---

8 comments

Dany 12 de dezembro de 2012 20:11

Eu vi o filme tbm é gostei bastante.
Eu sou suspeita pra falar de filmes que envolvam dança por que geralmente eu gosto muito.
Bjos....

Aline T.K.M. 12 de dezembro de 2012 21:20

Ainda não assisti ao remake, mas adooooro o Footloose original. Amo musical, já fiz aula e a trilha sonora do filme vez ou outra aparecia nas coreografias. Tenho vontade de ver essa refilmagem, mas tenho um pé atrás com remakes em geral. Como se trata de um musical, as chances de eu também gostar do remake são maiores hehe.

bjs
livrolab.blogspot.com

J. A. Santos 14 de dezembro de 2012 22:32

Oi estava passando por um blog, encontrei o seu, resolvi dá uma olhada e já tô seguindo segui de volta? passa lá no blog. Não gosto muito de filmes assim, sou mais do genero terror.

Amanda.. 15 de dezembro de 2012 19:54

Ainda não vii, mas me pareceu bem legal..
queroo ver.. \0/

Lais Ribeiro 18 de dezembro de 2012 10:59

Eu assisti primeiro o remake e não achei nada demais. Ai consegui em uma troca no skoob o livro que foi publicado pela galera Record e corri assistir a nova versão antes de ler o livro. Costumo ler o livro primeiro pra depois ver o filme mais como o livro foi baseado no roteiro acabei vendo o filme primeiro. Achei muito bom. Concordo com suas opiniões, adorei os protagonistas mas juntos eles realmente não funcionaram bem. Tanto no livro como no filme minha passagem favorita é quando eles estão no vagão e Ariel tenta beijar o Ren. Julianne Hough arrasa.

Thaynara ribeiro 19 de dezembro de 2012 08:19

Gosto muito de filmes de dança e música, não vi nenhuma das versões mas vou ver se consigo comprar ou alugar uma delas, parece ser bem legal.

Paula Camargo 29 de dezembro de 2012 17:49

Não tenho um conhecimento bacana para expressar uma opinião com tanta convicção,ainda não li o livro,e nem vi o filme,acho que não irei gostar muito,pois não gosto de filmes musicais!

Luciana Cardoso 31 de dezembro de 2012 00:37

Eu já assisti esse filme e confesso que eu espera um carinha mais bonito rs... na versão original o protagonista era mais caliente apesar de não ser lindo rsrs...
Gostei do filme em si, com alguns pontos baixos, mas nada muito série, achei as músicas muito boas, e eles dançam muito bem,as cenas de dança são muito boas.
No geral gostei do filme, mas ainda prefiro o original :D

Postar um comentário

Obrigada pela visita, dê sua opinião, participe e volte sempre.

- Caso tenha uma pergunta deixe seu e-mail abaixo que respondo assim que o comentário for lido.

- Caso sua mensagem não tenha relação com o post, envie para o e-mail.