É Filme: Cartas para Julieta




Hoje eu vim trazer para vocês a resenha de um filme incrível, que apesar de ter sido lançando há algum tempo, vale muito a pena ser conferido. Sei que muita gente já o assistiu, mas quem ainda não, tenho certeza que vai se animar após ler a minha resenha. Espero que vocês gostem!

Titulo: Cartas para Julieta
Titulo original: Letters to Juliet
Lançamento: 2010 (EUA)
Direção: Gary Winick
Atores: Amanda Seyfried, Gael García Bernal, Vanessa Redgrave, Christopher Egan, Marcia DeBonis.
Duração: 105 min.
Gênero: Comédia Romântica
Sophie (Amanda Seyfried) é uma aspirante a escritora que viaja para a Itália ao lado do noivo Victor (Gael García Bernal), que sonha em ter seu próprio restaurante. Em Verona, onde se passou a história de Romeu e Julieta (local perfeito para uma lua de mel antecipada), Sophie acaba percebendo que seu noivo está mais interessado nos fornecedores para seu restaurante do que nela. Na cidade descobre uma antiga carta de amor e junta-se a um grupo de voluntárias que responde estas missivas amorosas. Para sua surpresa, a remetente Claire Smith (Vanessa Redgrave) ouve o conselho dado na resposta e vai procurar Lorenzo, por quem se apaixonou na juventude. Mas existem muitos italianos com o mesmo nome e Sophie demonstra interesse em ajudá-la na tarefa, desagradando o neto Charlie (Christopher Egan), que já tinha reprovado essa louca aventura da avó viúva.


Sophie é uma checadora que trabalha para uma revista em Nova York. Seu sonho é ser escritora, mas apesar de possuir alguns diplomas de faculdade ela não possui a coragem necessária para pedir uma oportunidade ao seu chefe. Noiva de Victor, um chefe de cozinha que está prestes a abrir seu restaurante, ela parte para Itália com o propósito de ter uma lua de mel antecipada, contudo, ela vê seus planos frustrados quando o seu noivo põe os negócios em primeiro lugar que ela.

Determinada a não ficar trancada em um quarto lamentando pela insensibilidade de Victor, ela sai pela cidade de Verona em busca de entretenimento e acaba por conhecer um grupo de mulheres que auto se intitulam as Secretárias de Julieta, passando o seu tempo com essas mulheres de diferentes idades ela descobre uma carta escrita há cinquenta anos. Sensibilizada com o conteúdo da carta, ela decide respondê-la apesar do risco de sua resposta nunca chegar à destinatária. Contudo, após alguns dias, ela surpreende-se ao receber a visita do charmoso Charlie, o neto de Claire, a mulher que após ter o devido incentivo decide que ainda não é tarde para viver um grande amor.

Cartas para Julieta (que eu insisto em chamar de Cartas de Amor para Julieta) me encantou logo nas primeiras cenas. Identifiquei-me demais com Sophie, porque sei muito bem o que ela passou com seu noivo, mas mais do que isso, eu admirei a coragem que ela teve de enfrentar os problemas que surgiram em sua vida, pois isso não só a tornou um pouco mais real, como também, a transformou em uma personagem cativante. Assim como Claire, que é a avó que todo mundo sonha em ter, já que com toda sua simpatia, carinho e amabilidade, toma para si a responsabilidade de não só ser feliz, bem como, a de ajudar seu neto a encontrar a felicidade, pois é contando com toda a sabedoria que os anos e as experiências lhe concederam, que ela consegue ler nas entrelinhas o que ninguém mais consegue ver. Incluindo Charlie, que é uma espécie de príncipe moderno, que apesar do seu jeito de menino mal possui uma essência apaixonada que o difere de forma absurda do Victor, o noivo da Sophie, que é um chato sem precedentes e que com seu jeito egoísta de viver a vida só me fez querer bater nele com sua colher de madeira diversas vezes e espaná-lo do filme para que outros personagens coadjuvantes pudessem brilhar e mostrar com ainda mais precisão que não foram acrescentados por acaso.

Já assisti esse filme algumas vezes, e posso dizer sem sombra de dúvidas, ele é muito especial para mim, creio que o romantismo na medida certa é o que me faz ficar encantada com essa história cada vez que eu o assisto, ao contrário de muitos que acham que ele é só mais uma produção Hollywoodiana boba, eu discordo, pois acredito que a essência dele é justamente a simplicidade ao apresentar um romance onde os personagens vivem de verdade a construção do relacionamento, nele, as brigas não são encaradas como motivo para a desistência do relacionamento, pelo contrário, elas servem como aditivo para fazê-los refletir sobre seu próprio modo de pensar. Para ser bem sincera, eu me canso de personagens que ficam indecisas pelo filme inteiro e nunca encaram a realidade, nunca se questionam se as coisas podem mudar, e eu tive uma grata surpresa ao ver que em Cartas para Julieta isso não acontece, pois os personagens ao invés de ficarem se censurando pelo que fizeram e sofrendo pelo que viveram ou deixaram de viver eles vão à luta e conquistam aquilo que eles merecem.
  

Este é um filme que eu indico a todos aqueles que gostam de um bom romance, que tiveram seus corações partidos e principalmente para aqueles que acreditam que amor de verdade nem o tempo destrói.


Playlist:


--- Isabelle Vitorino ---

11 comments

Rosana Apolonio 19 de junho de 2012 17:34

Ainda não assisti Cartas para Julieta, mas gosto bastante dos filmes protagonizadas pela Amanda. Adorei a resenha e ainda mais o seu playlist, ouvi todas as músicas e amei!

=D

Potinho 22 de junho de 2012 01:24

Esse filme é lindo, serio quero um charlie pra mim hehe

Josi Souza 2 de julho de 2012 11:17

Quando vi o filme eu simplesmente amei. Ele é muito bonito, sem contar que adora a Amanda, acho que ela faz um ótimo trabalho.
Adoro a Claire queria ela só pra mim, amo demais pessoas idosas simpáticas e carinhosas como ela. Mas sou muito suspeita em dizer que amei o filme, sou encantada com todo bom romance.

Fellipe 2 de julho de 2012 22:16

Vendo a capa desse filme eu sempre imaginei algo bem diferente e por isso nunca tive vontade de assisti-lo, mas agora que li a resenha fiquei curioso, a história parece ser bem legal e com personagens cativantes fica ainda melhor!

Niii 3 de julho de 2012 09:51

Que legal, gostei do que você escreveu sobre o filme, principalmente quando relatou que as brigas não são somente brigas... E sim reflexão dos atos. É a primeira vez que sinto vontade de assistir esse filme.

Niii
http://amordelivros.blogspot.com.br/

Virginia de Oliveira 3 de julho de 2012 18:13

Já assisti esse filme e também gostei muito dele, amo romances e achei esse perfeito. O filme é lindo.

Mariana Guimarães 12 de julho de 2012 08:36

Amei esse filme <3 eu sou chorona chorei que só...

Jadi Soares 18 de julho de 2012 22:17

Além de ser super fofo e recordar o casal mais famoso do mundo (como esquecer Romeu e Julieta?) a história consegui ser leve e as vezes engraçada (sempre ria com todos os vários candidatos a Lorenzo que apareciam KkK') a acima de tudo super fofa e romantica.:)
mt perfeito o filme.

Samira Chasez 23 de julho de 2012 13:42

Oi..

Eu adorei ver esse filme, queria inclusive comprar o livro, mas achei o preço tão alto que simplesmente desisti.

Anônimo 2 de setembro de 2012 13:43

Muito lindo o filmeee,chorei litros assistindo... Eh um historia de amor com muito conteudo e que faz a gente pensar um pouco... A atuação da Amanda Seyfried foi impecavel como sempre...
Att Thiago

egs 13 de fevereiro de 2013 13:00

Um ponto alto do filme é a leitura pela Claire da carta que a Sophie lhe tinha escrito. What if ou E se em português. E se fizermos o que de fato o coração manda? Como seria o a vida e o mundo. É o ponto da universalização que a arte tanto utiliza como argumento de atingir nossa sensibilidade e nossa capacidade de analogias e reflexões. Neste ponto criamos um quadro na memória e já teremos registrado o filme para o futuro.

Postar um comentário

Obrigada pela visita, dê sua opinião, participe e volte sempre.

- Caso tenha uma pergunta deixe seu e-mail abaixo que respondo assim que o comentário for lido.

- Caso sua mensagem não tenha relação com o post, envie para o e-mail.